Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2012

quatro - tati bernardi

“ Quero acordar do seu lado num domingo de manhã e saber que não temos hora para sair da cama. E, depois, ir tomar café na padaria e ler o jornal com você. Quero ouvir você me contar sobre o trabalho e falar detalhadamente de pessoas que eu não conheço, e nem vou conhecer, como se fossem meus velhos amigos. Quero ver você me olhar entre um gole de café e outro, sem nada para dizer, e apenas sorrir antes de voltar a folhear o caderno de cultura. Quero a sua mão no meu cabelo, dentro do carro, no caminho do seu apartamento. Quero deitar no sofá e ver você cuidar das plantas, escolher a playlist no ipod e dobrar, daquele seu jeito metódico e perfeccionista, as roupas esquecidas em cima da cama. E que, sem mais nem menos, você desista da arrumação, me jogue sobre a bagunça, me beije e me abrace como nunca fez antes com outra pessoa. E que pergunte se eu quero ver um DVD mais tarde. Quero tomar uma taça de vinho no fim do dia e deitar do seu lado na rede, olhando a lua e ouvindo você me c

Me disseram que eu não posso sentir nada

Imagem
os meus sentimentos ninguém entende, todos dizem que sempre tem alguém pior. até concordo, mas esses são meus e quem sente sou eu. se fosse pela vontade dos outros, eu não choraria, não sentiria e teria que me conformar. então eu tenho que me conformar com o meu ensino médio atrasado sendo cursado numa escola de ensino e estrutura precária, com o meu emprego que é um trabalho escravo legalizado, com a bursite que ele trouxe e a quase certeza de uma hérnia de disco, com o meu salário de fome, com as minhas roupas de anos atrás que quase nem servem, com o meu cabelo desgranhado, com o bairro marginalizado, a cama com lastros aos pedaços. devo também me conformar com a vontade de chorar que tenho que engolir, porque sei que todos irão me julgar e falar a mesma coisa de sempre, conformar. porém os meus são poucos, pequenos, ninguém entende, só eu que sinto, e os de quem eu tenho que escutar são enormes, gigantescos, cheios de verdade e motivos. pimenta no cú dos outros é refresco. infeliz

Sobre estudar e trabalhar

Imagem
A maioria das pessoas que estudam de noite é porque trabalham durante o dia. Passam o dia inteiro fora de casa, não tem tempo de estudar para provas e muito menos de fazer trabalhos para apresentar. Para facilitar, os colégios poderiam padronizar o método de ensino, ao invés de continuar da forma desorganizada que está. Desse jeito, muitos alunos não iriam desistir por causa da bagunça que se torna o método atual de avaliação, tenho consciência que muitos desistem por outros motivos e não exclusivamente por causa do modo avaliativo, mas continua sendo um dos motivos. Um professor te avalia fazendo 2 provas e 1 trabalho e por último dá a prova de recuperação, o outro não dá prova e nem trabalho, só olha o caderno. E se padronizassem, fizessem polígrafos com a matéria que será dada no trimestre para a pessoa ir estudando? Não precisa ser só pro turno da noite e sim para todos os turnos em todas as escolas? Talvez fosse bem melhor do que o jeito que está agora. Uns fazem, outros não

Você me entende?

Imagem
Com os fones no ouvido, escutando músicas que acalmam, pensei e me vi em um beco sem saída. Onde o que eu mais precisava era de paz, sossego e dinheiro para resolver todos os problemas nesse plano material que vivemos. E do que adianta me desesperar, fazer planos, imaginar, pensar e repensar, mas não sair do lugar e continuar a esperar que o tempo passe para as coisas melhorarem? Nada! O medo toma conta dos meus atos, como se esse fosse o único sentimento existente dentro do meu ser confuso.  Todos dizem, vá em frente, tu consegue, é fácil, porém a teoria não é a mesma coisa na prática. Seguimos uma cartilha desde que nascemos, temos que fazer tudo baseado no que diz nela, mesmo nunca tendo pego ou visto. Eles falam o que devemos e não devemos falar e fazer, mas ninguém se importa com a nossa vontade, com o nosso querer. Quando é que você vai parar de agradar os outros para atender à você mesmo?  A vida é sua e dela você faz o que bem entender quando e como quiser, desde que n