13/03/2011

29/12/2007 - primeiro sms

falei durante tanto tempo sobre as mesmas coisas, quase sempre os mesmos sentimentos. aqueles que doem tanto só de lembrar da pessoa, caem lágrimas quando vem a dor. não faz diferença falar, porque ninguém vai escutar, ninguém vai ler, ninguém quer saber o que sofri e o pouco que ainda sofro por você saber e não me corresponder. tenho consciência de que as coisas não vão ser mais como foram um dia, que eu começava a frase e tu terminava, tudo se encaixava, nos completavamos de um modo nunca completo antes, pelo menos pra mim. não há mais palavras para explicar o que sinto quando te vejo, as lembranças veem a tona, tudo me emociona, nada me emociona, não sei mais o que dizer, não tenho e nunca tive nada para esconder. agora eu não tenho mais nada pra fazer, não posso mais fazer nada. tenho que me contentar como estamos no presente, o passado foi maravilhoso e inesquecivel.
_
nos últimos tempos estou me lembrando de coisas que provavelmente você não lembre.
_
o choro vem até a metade, engulo a seco e continuo a caminhar sozinha pela estrada que um dia tive a sua companhia. são coisas que não consigo explicar o porque, queria tanto as respostas para todas as minhas perguntas.
_
se tu vai ler eu não sei, só sei que tudo o que sinto tem que ser colocado para fora de alguma forma e foi essa que eu escolhi, se tu ler, melhor ainda.
+ 1 texto que não é pra homem

07/03/2011

não é nada disso

não depende do modo como são feitas as coisas e sim os motivos que nos levam a fazer e falar, sem ao menos pensar e repensar nas consequências de nossos atos, estes desenfreados e que nunca são pensados com a calma que deveriam. atos impensados, consequências arcadas, arrependimentos passados e futuros, programados no relógio da vida. a hora vai chegar e você está esperando por isso, se esquece do compromisso marcado por você com a vida e a vida com você. talvez isso não seja tão importante agora, mas e amanhã?
abra os olhos e deixe de ser cego.
abra o coração e comece a amar.
abra a boca e comece a falar.
não se cale para quem fala muito e
não fale muito para quem se cala.
tudo um tanto contraditório ou não

03/03/2011

indignação, talvez seja essa a palavra

De noite, sozinha, olhando pessoas aparentemente felizes e refletindo a minha solidão.
_
Pressão sofrida diariamente é expressada em lágrimas, que para as pessoas que moram comigo não tem motivo e é frescura da minha parte, mas pra mim tem motivos de sobra para cairem, tanto por dentro quanto por fora, são engolidas a seco todos os dias. Querer seguir em frente sozinha é a vontade mais natural que eu posso sentir, diante de tanta perturbação.