30/10/2011

Mais uma coisa que eu não entendo

O que mais me incomoda não é o fato de eu ter perdido a minha infância, a minha adolescência, o meu gosto de viver, a felicidade, entre outras coisas mais dos 9 anos até hoje, os 19. Sim, 10 anos. O que mais me incomoda é o fato de eu sempre ficar em segundo plano, de sempre esperar o próximo mês para ganhar uma coisa ou então nem ganhar por ser maior e entender mais do que o menor. Podem se passar mais 10 anos, e ele sempre será o melhor, o mais paparicado, o mais afagado e eu a mais criticada. Eu só queria entender, o porque que as mães querem acertar com os mais novos o que erraram com os mais velhos e nas discussões sempre alegarem que estão dando a mesma criação que deram para o filho mais velho?! Sei que são perguntas sem respostas aparentes, mas no fundo todo mundo sabe que tem uma resposta, ninguém consegue formular com plena satisfação e convencimento, mas tem. Isso me irrita profundamente, porque elas privam os menores de fazerem as mesmas coisas que eu, você, nós fazíamos na idade que eles estão hoje e só faltam nos crucificar quando falamos que eles tem tanta capacidade quanto nós de fazer. Enfim, enquanto eu tiver chance e oportunidade baterei de frente, jogarei coisas na cara e lembrarei o quanto eu sofri e ele não sofreu. Sei que estou sendo rancorosa, que os tempos são outros, a qualidade de vida é outra, e mais ainda, que estou sendo muito egoísta, mas todos temos defeitos. Veja o vídeo.


28/10/2011

observação da semana

"Pesa-me, realmente me pesa, como uma condenação a conhecer, esta noção repentina da
minha individualidade verdadeira, dessa que andou sempre viajando sonolentamente entre oque sente e o que vê. E, por fim, tenho sono, porque, não sei porquê, acho que o sentido é dormir."
 - Fernando Pessoa

E do que adianta continuarmos lembrando do passado, sofrendo por pessoas que se foram há tanto tempo que parece até que nunca existiram em nossas vidas? Temos que ser as mudanças que queremos que aconteçam.

22/10/2011

iloveyou ♥

Olhamos para o tudo, enxergando nada, apenas buscando os motivos reais para os quais fizeram com que as pessoas que no passado declaravam pelos quatro ventos que não iriam conseguir viver sem nós, nos abandonaram, me abandonaram. Talvez eu nunca encontre, nunca encontraremos, o porque dos porquês.


Você nunca me disse adeus, apenas se foi, como se nunca tivesse chegado, como se nunca tivéssemos nos conhecido. Deixou-me lembranças boas e ruins, ilusão, decepção e principalmente, muita saudade. E diga-se de passagem, muito amor, muita dor no coração. Com você aprendi coisas que nunca imaginei que existiam. E hoje, todos os dias desde que acordo até dormir, tenho esperanças de ainda te ver e reviver pelo menos um dos melhores dias que passamos juntos. Enquanto isso não acontecer não irei sossegar, te procurarei até te encontrar e sermos felizes, sempre felizes.

12/10/2011

Finja que o amor não existe

O amor é uma mentira que o nosso coração insiste em nos fazer acreditar. Mesmo sabendo que as coisas serão iguais e só o personagem será diferente, continuamos, porque pensamos que dessa vez poderá ser diferente. Nos iludimos novamente. Agimos cegamente, a carência faz de nós cegos que enxergam apenas quando querem e fingem não ver o que lhe faz sofrer. Correspondemos ao primeiro olhar, começamos a conversar com 'más intenções', praticamente inocentes, deixamos nos levar e assim nos levam para o caminho da ilusão, aquele do qual tanto corremos depois que demos o primeiro beijo, que rolou a primeira transa e do primeiro teste de gravidez feito escondido da mãe é claro. Fugimos a vida inteira das ilusões da vida, seja com amores ou amigos. Seja com quem e como for, fugiremos eternamente, porque ninguém nasceu para sofrer por causa de uma outra pessoa que até ontem nem sabia que eu/você existia. Pensa bem, não vale a pena sofrer por um alguém que nunca vimos na vida.
Não ligue pra essas caras tristes
Fingindo que a gente não existe
Sentadas, são tão engraçadas
Donas das suas salas
 
Bete Balanço - Cazuza 

04/10/2011

O que será de mim amanhã? ♪

Sabe quando tu já está puta da cara com toda a situação, pessoa e ocasião? Não quer mais saber de nada e nem de ninguém? Tá cansada de ver todos os dias as mesmas caras, os mesmos papos, dialogar com as mesmas mentes pequenas? Seja virtual ou pessoalmente? É pra isso que eu não tenho mais paciência. A vontade da vez é de sair correndo sem olhar pra trás, pegar um novo rumo, onde tenha pessoas diferentes, que ninguém me conheça e que todo mundo que me conheceu um dia e que eu conheci, apenas me esqueçam, nos esqueçamos um dos outros como se nunca tivéssemos existido. Não iremos fazer falta pra ninguém, assim como não fazemos agora. E do que me adianta ficar dizendo sobre o que sinto para as outras pessoas que também desabafam comigo se elas não me entendem, não conseguem me entender e nunca conseguirão? Quando elas falam eu entendo e quando eu tento falar, quem vai entender?