13/09/2018

Uma quinta - feira de setembro

uma foto minha de ontem que eu tava melhor que hoje nesse mesmo horário.


Me olho no espelho e não consigo mais me reconhecer como uma profissional de qualquer serviço banal  dos quais já trabalhei e que não me tratavam com nenhuma importância, muito menos reconhecimento. 
Continuo sem me reconhecer como a pessoa que começou a escrever aqui por um único motivo que era o de soltar tudo o que estava aqui dentro do peito, que nem estou fazendo agora, que parei de fazer tudo o que estava fazendo pra escrever antes que todas as palavras sumam da minha mente e eu guarde tudo isso aqui mais uma vez. 

Não me reconheço mais em nada do que eu faça, apesar de que nesse texto estou me reconhecendo um pouco, mas nos outros 99,9% das coisas que eu tenho que fazer, não me reconheço, não vejo sentido, nem sei porque tenho que fazer aquilo e porque estou fazendo aquilo.
É um pouco revoltante quando essas coisas acontecem, e estão acontecendo há quase três anos, porque não tenho controle nenhum. Não consigo fazer nada que eu consiga enxergar pra poder melhorar essa situação, virar esse jogo.

Chega a ser bem confuso, um absurdo!


Saio na rua, olho pro céu e começo a rimar coisas sobre a minha realidade, ao redor todos me olham como se eu fosse um bicho, devem tá com medo, afinal de noite, uma pessoa de capuz na rua, falando sozinha, mas acho que o medo deles não é bem esse.
Olho pras estrelas e toda aquela claridade me dá um up, uma vontade de continuar a viver, me dá uma amostra da liberdade que eu tanto preciso, persigo e quero conquistar há tanto tempo, mas pena que eu tenho que esperar, que nem o ditado diz: quem espera sempre alcança, ou algo assim. 

Dentro da minha cabeça é um turbilhão de pensamentos diferentes por segundo, fico tão perturbada que sinto vontade de sair correndo sem olhar pra trás e ao mesmo tempo de dormir até não poder mais. Não posso escolher nenhuma dessas duas opções, a represália acontece e a minha única vontade depois dessas anteriores é de desaparecer. 

O mais ralante de tudo isso é que ninguém disse que ia ser tão difícil e que além da alimentação a gente tinha que cuidar da saúde mental também. Esse acesso passou longe de mim, mas hoje pela tamanha necessidade vejo a importância e a falta que faz. 

Uns dizem que é depressão, outros dizem que é ansiedade, a única coisa que eu sei, que é uma coisa que eu não sentia antes e que hoje não quero mais sentir. Não tenho a mínima ideia de como reverter a situação, apenas agora, estou aqui com um turbilhão na mente, a cabeça doente, a língua dormente, com um monte de coisas pra fazer e a minha maior vontade é dormir. 

E se você chegou até aqui, obrigada por me ler e continuar acompanhando. Gratidão!

11/09/2018

A vida de procrastinação


Deixo tudo o que eu tenho que fazer pra depois, pego as prioridades e coloco no bolso, sei que tenho uma lista de coisas pra fazer, mas prefiro tirar uma soneca antes, jogar um candy crush, assistir 10 vídeos aleatórios no Youtube, qualquer outra coisa que me dê mais prazer naquele momento do que cumprir aquela lista de tarefas infinita. 

O aplicativo que vai me distrair? Vai ser qualquer um, porquê eu fico fugindo das minhas obrigações, essas que eu mesma criei, é praticamente o criador fugindo da sua criatura. É bonitinho organizar a semana, escrever tudo num planner ou simplesmente em uma folha de papel qualquer, o mais importante é conseguir cumprir tudo o que tem que fazer naquele mesmo dia. Determinados e disciplinados são aqueles que conseguem cumprir as suas listas e ficam mais animados ainda criando outras, todos os dias, todas as semanas. 

Sigo vários perfis e canais sobre organização, de casa, de vida, de semana, de dia, várias formas de organizar e ter uma vida mais otimizada, já até escrevi sobre, mas aí eu te pergunto: como faz pra colocar em prática? Acredito que seja deixando a preguiça de lado. Esse relacionamento sério que tenho há anos, acho que está na hora de anunciar a separação, pedir divórcio. 

Tudo é  uma questão de hábito, de costumes, de passos pequenos todos os dias, é isso mesmo, estou trabalhando meu psicológico pra não ser mais tão desorganizada na vida e começar a organizar tudo de dentro pra fora e de fora pra dentro. Tenho que afastar a preguiça do meu corpo e mente, e focar nos resultados que terei futuramente. Depois que colocar tudo em prática, me acostumar com a nova rotina de organização, vou fazer tudo no automático, como se fosse uma pessoa organizada desde que nasci, quem me dera!

Me conta o que tu faz pra espantar a preguiça e parar de procrastinar. 

01/09/2018

O primeiro do mês

O mês das flores - minha flor preferida
Depois de um ano um pouco conturbado, de uns 8 meses pra falar a verdade, porque o ano não chegou ao fim ainda apesar de faltar tão pouco tempo, estamos aqui de volta, fazendo o que mais gostamos, isso mesmo, escrevendo com todo o amor e carinho do mundo.

Estava um pouco confusa com essa função de cronograma, anotações, temas, categorias, rotina de escrita, conteúdo e afins, mas parei de ficar focada nisso e o meu lance é escrever sobre o que eu sentir vontade naquele momento, então estou aceitando isso e fazendo com vontade. Afinal é o que eu mais gosto de fazer e usar apenas e simplesmente da espontaneidade, porque acho que acontece com mais facilidade do que esquematizar roteiros, listas e tópicos. Essa não é a minha praia.

Agora bem resolvida e sabendo o que eu quero realmente da vida no mundo da escrita que é escrever a vontade, dentro da minha vontade e possibilidades, vou continuar escrevendo sobre as variedades, coisas que eu não gosto, que gosto, que me incomodam, que podem mudar e também sobre os conteúdos que eu consumo durante o mês. É sempre bom compartilhar conhecimento e experiências com as pessoas, se torna uma troca muito gostosa.

E como anunciei no Instagram, ontem foi aniversário de 10 anos do blog, não me organizei pra fazer nada de especial, como sorteios, festinha e etc, mas ano que vem rola alguma coisa bacana pra comemorar com vocês.




O meu maior foco com o blog hoje em dia é ajudar as pessoas, é uma das coisas que eu mais adoro fazer. É uma satisfação maravilhosa de ver que consegui ajudar. No começo o maior foco era só desabafar, mesmo assim ajudava várias pessoas, sei disso com base nos comentários que recebia. 


Enfim, acho que é isso. Segue o blog pelo GFC aí do ladinho, compartilha com os os teus migs nas redes sociais clicando nos botões abaixo do texto e me segue nas redes sociais, pra ficar por dentro de tudo e não perder nada.:  Instagram - Twitter - Tumblr - Facebook
E antes de fechar a aba não esquece de comentar.