30/01/2017

#7Paradas7minutos: Só lamento

imagem: weheartit























Nesse pequeno trajeto vejo muito sofrimento.

O homem na esquina, passando mal, caindo por cima da calçada, todos olhando e ninguém fazendo nada. A criança especial com a idosa quase caindo ao descer, todos olhando boquiabertos sem sequer esboçar um esforço para ajudar. Só as caras de pena pairam o tempo todo em cima de quem está precisando de uma mãozinha amiga que seja, mesmo que só por um segundo. 

Dentre as frestas do alambrado me deparo com o semblante triste de quem muito já fez pelos seus e hoje foi abandonado por todos eles, como se não existisse mais. Não dá pra entender como uma pessoa é capaz de tanta falta de consideração, amor e compaixão a ponto de fugir sem olhar pra trás. 
Eles ficam aprisionados em quartos com grades nas janelas, quando saem é pra tomar sol em bancos duros, a cena é de cortar o coração. 

Eram três crianças, sem nenhuma semelhança a não ser a camiseta que vestiram, que desceram do mesmo ônibus e que estavam juntas naquele trajeto, debaixo do sol escaldante. E em cenas como essas, nos perguntamos onde estão os pais dessas e de tantas outras crianças que passam por situação iguais ou diferentes, para deixarem eles a mercê da vida, da rua, das pessoas. 

No meio do caminho um Outdoor diz que no verão é pra se divertir, eles não tem culpa do que acontece ao redor, só querem alcançar o seu público - alvo super seletivo com seus preços maiores do que a maioria do mercado, porém não podemos falar nada contra a sua qualidade incontestável. 

E vamos ao nosso questionamento da vez: Quem pode se divertir no verão? 
Na minha opinião é quem tem dinheiro, quem tem recursos suficientes para tal, sem se preocupar com nada. E ir curtir a vida na sombra com água fresca. 

E pra você, quem pode se divertir no verão? Você pode se divertir no verão? 

21/01/2017

Toma aqui uma injeção de ânimo pra você

imagem: weheartit


De todos os projetos que iniciei, dei um primeiro passo com animação e convicção nunca consegui dar continuidade a nenhum, não sei dizer bem ao certo, mas posso falar sobre alguns fatores que me atrapalham e vejo que atrapalham outras pessoas também nessa blogosfera linda que fazemos parte. 

Vamos lá: o cansaço por ter que trabalhar e querer ser blogueira e por não acreditarmos em nós mesmas, que no nosso nicho de blog pessoal no qual postamos na maioria das vezes apenas crônicas do nosso cotidiano ninguém vai se interessar. Acho que isso é um tipo de neura que não vale a pena ser levada pra frente, pois somos competentes naquilo que gostamos e nos propomos a fazer, pois é com o mais belo e puro amor. Da minha parte é!

É que nem a pessoa que vende uma embalagem cheia de esponjas em SP, 1 pacote com 10 por R$ 3 ou 2 pacotes por R$ 5. Me faz pensar que se ela não desse a cara pra bater - isso vamos falar bem no popular -, não iria conseguir se sustentar, pagar o aluguel dela e nem estudar. 
Podemos até nos perguntar, poxa, mas esponjas? Pois é, essa foi a escolha dela e está dando certo. Aqui na minha cidade não tem ninguém que faça isso. 

O produto que escolhemos é a escrita, é ficar na frente do computador tudo o que vem na nossa mente, é fazer o que gostamos. Ela gosta de ser autônoma, ela não se importa de caminhar todos os dias com sol ou chuva, porque ela trabalha apenas e exclusivamente pra si e ninguém manda ela fazer nada. 

É uma comparação válida apesar de ser diferente e o esforço ser diferente, mas estou falando da vontade de ir atrás do seu espaço, de conquistar o que é seu, de realizar o seu sonho sem subir na cabeça de ninguém, subindo aos poucos cada degrau. Não é lição de moral, é só uma injeção de ânimo tanto pra mim quanto pra quem já desistiu de fazer uma coisa que gostar por não acreditar no seu potencial, não ter paciência pra esperar os resultados e por achar que nunca vai dar certo. 

Tudo tem um tempo certo pra acontecer e se não aconteceu ainda, é porque não está no tempo certo ainda. 

06/01/2017

Por ti, pra ti

imagem: weheartit


Quero me declarar pra você de todas as maneiras que possam existir no mundo inteiro, não que as formas já feitas não tenham sido convincentes, apenas não são suficientes para declarar todo o amor que sinto por você. As poucas e humildes maneiras não declararam nem um por cento de tudo o que contém dentro do meu peito e bate desesperadamente por ti. 

Sentir o teu cheiro todos os dias, ameniza um pouco da saudade que começa no próximo minuto em que nos despedimos todas as vezes que nos vemos. Pode ser afobação da minha parte tanto amor, tanto gostar, tanto carinho e tanta admiração, mas convenhamos, quem é que namora sem gostar, sem amar, sem admirar, sem querer estar perto o tempo todo? Eu não sei, muito menos eu faço isso. 

Te olhar nos olhos e ver como eles brilham, sorrir pra ti e receber teu sorriso de volta, te observar falar e gargalhar, tudo isso é tão apaixonante quanto todas as palavras já ditas até hoje entre nós. Não sei como pude um dia desacreditar do amor, sendo que ele estava ali o tempo todo, bastava abrir os olhos para enxergar. 

Sendo assim, continuarei te admirando de janeiro a janeiro, indo te ver com chuva ou sem chuva, durante a semana ou apenas nos finais de semana. Adaptaremos todos os nossos horários para nos apaixonar todos os dias de novo e assim seremos feliz, simplesmente feliz.