30/01/2013

Porque o fim é muito doloroso


O coração bate, mas não é por você.
Sinto saudade do que fomos um dia, 
das nossas velhas manias, 
das brincadeiras sadias que fazíamos
noite e dia, hoje não mais.
Com o passar do tempo e o aumento
da rotina, perdemos a graça um pro 
outro. 
Olhar o sol ao meio dia tem mais graça
do que ficar sentada no sofá de noite
do teu lado. 
Não queria que fosse assim, que
chegasse ao fim, tudo o que sentimos.

Por enquanto estamos empurrando com a barriga, nos aturando, aceitando e ainda nos amando todas as noites. O que está presente entre nós é o gostar, o tesão e o cansaço da rotina e da tua procrastinação. O que ainda nos une além de tudo o que sentimos é que um melhore para o outro o quanto antes. 

26/01/2013

Menos ignorância e mais educação


Queridos vizinhos, venho por meio deste lhes dizer que quando começa o meu limite termina o de vocês. Não há explicação para tanta gritaria durante o dia inteiro sendo que ninguém das pessoas que habitam os mesmos metros quadrados e nem vocês são surdos, então por favor, parem de gritar. Todos os 36 moradores tem um rádio tão potente quanto o de vocês ou outra forma de escutar músicas de diversos gêneros musicais que lhes convém e não querem escutar essa música que vocês nos obrigam a escutar. 

Não é seguro para a criança pequena ficar sozinha na parte da frente do seu apartamento pendurada nessas grades velhas que estão aí há mais de 20 anos, ainda mais quando ela pega tudo o que vê pela frente e joga no pátio do vizinho que mora no térreo, quando não na telha. Esse aviso vai para os adultos também, que depois de 3 garrafas ficam  bêbados e deixam uma garrafa voar do quarto andar. 



E os vizinhas do lado esquerdo, o que dizer sobre vocês? Que vocês e seus 3 cachorros são maravilhosos, ainda mais quando vocês os soltam 5 horas da manhã e eles ficam correndo, latindo, urinando e defecando na frente da minha casa até as 8 horas, que é a hora que vocês saem pra trabalhar. E quando voltam soltam eles de novo para fazerem as mesmas coisas, mas com a diferença é que dessa vez quando tentamos sair no portão os cachorros se transformam e começam a correr atrás de nós querendo nos morder. Fora os gatos que quando não tem ninguém em casa, querem pular pra dentro do apartamento alheio. Vocês não sabem que é proibido ter cachorros em apartamento?

Tem mais a vizinha do lado direito, que tem uma filha que acorda nove horas da manhã todos os dias pra andar de patinete com o cachorro que não para de latir, porque ela agarra ele pelo pescoço pra andar junto no patinete, e ela se cansa de andar de patinete e começa a correr de pés descalços. 

Ainda tem outra espécie de vizinho, aquele que se debruça na janela com a desculpa que tá tomando um ar, sendo que na verdade tá olhando pra dentro da casa do vizinho do mesmo andar e pro do andar de baixo e quando o vizinho aparece, disfarça que tá arrumando as roupas no varal, sendo que todo mundo sabe que essa pessoa é fofoqueiro de marca maior, é o presidente da associação vizinhos fofoqueiros de plantão. Capaz que não vai ter nada pra fazer em casa, vai ver tv, ler um livro, vai dormir então, mais digno do que ficar cuidando a vida dos outros o tempo todo.


Educação e bom senso não existe nesse bairro, são raros os vizinhos que não incomodam. Você pode reclamar, conversar, tentar explicar a situação para a pessoa entender e reverter a situação, mas não há santo que ajude, eles só entendem as coisas na base da gritaria, da briga, do barraco. Sorte de quem já se foi e má sorte de quem ainda continua aqui por vários motivos. 

24/01/2013

Queria Tanto - Livia Brazil


Sinopse: 

Alice Maria é uma garota de 20 e poucos anos que mora sozinha, tem grandes amigos, um emprego de cenógrafa que a faz ralar muito e é perdidamente apaixonada por Gabriel, que tem muito tesão por ela, o que seria ótimo, se ele não fosse gay. Aí aparece Rodrigo, que quer ter algo sério com Alice, mas ela foge com medo de o amor de verdade machucar... Com a ajuda e os conselhos nem sempre muito sutis de seus amigos, Alice embarca em uma aventura de descobertas e sentimentos, cheia de humor e delicadeza. Tudo está registrado em seu diário. Uma história divertida, emocionante, passada em dias ensolarados do Rio de Janeiro.

A Autora


LIVIA BRAZIL

Nasceu no Rio de Janeiro, em 1985, é tradutora e roteirista, produtora cultural e blogueira. Um dos destaques do 1º Prêmio Benvirá de Literatura 2010, Queria tanto é seu romance de estreia.  

Trecho da página 65

Hoje eu quis parar o mundo. Deitar e olhar pro céu. Pintar tudo de estrelas. 
Hoje eu não fui ninguém. E assisti alguém não querer mais ser alguém. 
Hoje a amizade foi forte, mas seu efeito foi inexistente. 
Hoje as palavras foram levadas pelo vento, mesmo não sendo pronunciadas por um só instante. E ainda assim entendidas. 
Hoje os noticiários deram inúmeras notícias, mas esqueceram da única importante. Porque nada mais importante, e tocante, e abalador, que as lágrimas de um amigo.
Hoje o mundo parou por alguns instantes, enquanto tudo virava incerteza na cabeça de um homem que se transformava em menino. (...) 

21/01/2013

O que é Hipster?


Hipster é uma palavra inglesa usada para descrever um grupo de pessoas com estilo próprio e que habitualmente inventa moda, determinando novas tendências alternativas. O termo deriva de “hip”, um adjetivo inglês usado desde a década de 1940 com o significado de “descolado” ou “inovador”, designando os jovens brancos e ricos que imitavam o estilo dos negros do jazz. No início de 2000, a palavra surgiu para classificar um grupo de pessoas com idade entre 15 e 25 anos, geralmente de classe média, que combina peças de roupa de estilo moderno e vintage, compondo um look original.

 Para criar o estilo extravagante, os hipsters resgataram alguns acessórios antigos como chapéus fedora e óculos escuros modelo wayfarer. As calças skinny, poá e alguns padrões de xadrez são destaque em suas roupas. Os hipsters gostam de ouvir Tom Waitts, Bob Dylan e bandas de rock alternativas. Têm preferência por filmes antigos e adoram frequentar brechós, feirinhas, galerias de arte e museus. Gostam de contrariar as convenções sociais, têm antipatia pela cultura comercial dominante e procuram resgatar as culturas populares locais. Se para alguns, os hipsters se vestem de um jeito inusitado e autêntico, para outros são classificados como cafonas, com visual afetado e criadores de combinações desastrosas.

• Looks Hipster •
Meninas:


Meninos:




Hipster na rede:
Playlist Hipster

13/01/2013

Sorria para ser feliz


Como sempre, em todos os momentos da nossa vida, paramos para observar tudo o que ficou para trás quando damos um passo a frente. Ficamos indecisos, confusos, nos perguntando se a escolha foi certa. Tentamos simular se tivéssemos escolhido o outro caminho se seria melhor, mas agora não adianta mais. Temos que continuar seguido a estrada escolhida com um sorriso no rosto e sem arrependimentos, pois não podemos chorar pelo o leite derramado. Nunca ouviu falar que quando você sorri pra vida ela sorri pra você também?! Então, pare de se lamentar, de julgar e chorar, a vida é muito curta para perdermos tempo com coisas e pessoas negativas. Sobreviva, sorria, seja feliz, a vida é tão bonita pra você ficar cutucando casca de ferida mal curada, deixe cicatrizar, pois o que tiver de ser será.

09/01/2013

Desespero define


Todo mundo com saudade de fulano ou de beltrano, a única maior saudade que eu sinto é a de quem eu fui um dia, da felicidade que tive e dos amigos que fiz quando eu ainda não sabia o que era responsabilidade de verdade. Não é que eu também não sinta saudade de fulano ou de beltrano, sinto saudade mais de uns do que de outros. Mas são coisas inevitáveis, os rumos são outros, tudo bem, já entendi. Sofrer pela falta não pode mais fazer parte do nosso cotidiano esse que nos preocupa tanto em dias sem dinheiro, de desespero e desemprego. 


E do que adianta tu querer desabafar e as pessoas só dizerem que vai passar, que o de melhor vai vim, mas precisa demorar tanto assim? Talvez seja afobação. Só que o tempo não para, nem os números e muito menos os juros. Eles não entendem o que eu sinto e por isso continuam dizendo sempre as mesmas coisas, por não terem o que dizer ou por não saberem. Sinceramente, não sei de mais nada, como nunca soube. 

08/01/2013

Depois dos quinze - Quando tudo começou a mudar


BRUNA VIEIRA, tem 18 anos, é colunista da revista Capricho e dona do blog Depois dos quinze. Nasceu na cidade de Leopoldina, no interior de Minas Gerais. Terminou o Ensino Médio como técnica em informática industrial e dois meses depois mudou - se para São Paulo. Começou a escrever porque descobriu que o amor da sua vida era, na verdade, apenas o amor de uma das centenas de fases que ela já viveu. Desde então com a ordem das palavras escritas e compartilhadas nas redes sociais, Bruna superou a timidez, viajou para a Europa, fez duas tatuagens, mudou de vez para São Paulo e tornou - se uma das adolescentes mais influentes da internet, com milhares de fãs-leitoras-amigas-seguidoras.


1ª Tattoo - Vídeo


2ª Tattoo - Sobre a tattoo


Bruna em Paris



O LIVRO


Sinopse: 

Neste livro você encontra histórias, desabafos e segredos de Bruna Vieira. Garota de 18 anos, colunista da revista Capricho e dona do blog Depois dos Quinze, um dos mais influentes em moda, comportamento e internet para o público adolescente. Bruna apresenta aqui sua história em belíssimas crônicas que já conquistaram milhares de fãs, leitores e leitoras em sua coluna em suas redes sociais e em seu blog.



Teve lançamento em São Paulo no dia 29/11 na Saraiva do Shopping Pátio Paulista, no Rio de Janeiro no dia 1/12 na Cultura Fashion Mall, em Leopoldina (MG) no dia 12/12 na Casa de Leitura e em Belo Horizonte no dia 14/12 na Fnac do BH Shopping

Postagens no blog dela sobre o lançamento do livro: 
Lançamento do livro em Minas
Os primeiros lançamentos do livro



Músicas para ouvir lendo o livro

07/01/2013

06/01/2013

5 Tumblrs que você deve seguir

"um livro com dedicatória é um livro com duas histórias, uma que começa no primeiro capítulo e uma que começou antes de se passarem as páginas."

- São publicados livros com dedicatórias. eu te dedico.



Biografia: 
Eu me chamo Antônio e tenho 28 anos muito bem sentidos. Nasci no coração do mundo. Mais precisamente na África. Mais exatamente em N´Djamena, a capital do Chade. Aos 12 anos cheguei ao Brasil com uma mala cheia de brinquedos e saudades. Sim, saudade no plural. Saudade de todos que deixei e conheci. Até os 13 eu não formulava uma frase correta em português. Talvez esse seja o motivo principal pelo qual comecei a prestar mais atenção nas palavras, a brincar com elas, a entendê-las. Ah, eu adoro silêncio, distância, girafas e amores impossíveis. (Confesso que prefiro as girafas!) Atualmente vivo no Rio de Janeiro, mas eu sei que existe um mundo que me espera. Eu pertenço ao que não me pertence!

Tem mais de Antônio no Facebook também. Eu me chamo Antônio



6 palavras escrevem uma história por dia. Um ano em seis palavrasTem mais de Mariany Gomes no Facebook também, na página 365 maneiras de dizer eu te amo


O tumblr Grifei num Livro é um projeto colaborativo que reúne trechos grifados de obras diversas. A brincadeira também rola no Instagram. Quer participar? Mande grifos ou sugestões para grifeinumlivro@gmail.com 


"Minha mãe me disse e depois li em algum livro: são necessários cerca de seis meses para curar uma dor de amor. Um cartaz para cada dia que passa para fazer passar."
São publicados cartazes tanto em inglês quanto em português. 180 cartazes pra sair da fossa.

04/01/2013

Skatistas



No seu shape com rodinhas ele desliza por todos os lugares. O mais divertido é descer as lombas com o vento em seus cabelos, que muitas vezes são bem diferentes e bem apaixonantes. Todo mundo já se apaixonou por um skatista. Eles agem como se não trabalhassem, nem estudassem, apenas como se o seu prazer, hobby, trabalho e estudo fosse o skate e a vida de skatista. Parece que a vida deles é só aquilo ali. Acordar, dormir e skate. E as roupas? Todas seduzem. O jeito calmo e pacato, dá vontade de ficar o dia todo observando. 



E vocês, o que acham dos skatistas, suas roupas, seus skates, suas vidas?