18/09/2019

Se você acredita, não é ridículo!



Oi. Estou tendo uma crise de ansiedade agora, sim, exatamente agora, desde as 09:00 da manhã estou sentindo isso. Dizem que escrever em um blog sobre o que eu sinto e as coisas que acontecem comigo ou expôr as coisas que vejo no cotidiano com o meu olhar pra você que está aqui agora é ridículo, é me expôr ao ridículo. Pra falar bem a verdade não concordo com isso.

Se concordasse com essa afirmação estaria concordando também que as biografias já publicadas são ridículas, que todas as pessoas que escrevem em um blog a sua opinião sobre algo são ridículas, estaria concordando que todas as músicas do Lupicínio Rodrigues são ridículas, porque ele escrevia o que sentia e acontecia com ele. 

Continuando sobre o inicio, algumas partes do meu corpo doem, sinto vontade de chorar, minha gengiva adormece e minha visão fica embaçada, estou deitada na cama faz umas 4 horas. Hoje cheguei a conclusão de que me sinto assim, de que os sintomas vez pelo fato de eu me sentir cobrada a fazer as coisas. Até uma lista de tarefas a serem feitas me fazem sentir assim. 

Pra quem não entende o que é, como acontece e talvez nunca tenha sentido (não desejo que ninguém sinta isso) pode achar que é besteira, que é frescura, que é falta de Deus ou falta de louça pra lavar, como já escutei muitas vezes, mas na verdade não. Você está muito bem, fazendo as coisas, pensando em coisas positivas, ocupando a mente, e do nada começa a pensar em coisas que tem que fazer por pura obrigação, sente - se cobrada e pronto, tá feita a merda toda. Crises de ansiedade e pânico juntas para modificar a sua segunda - feira.

Sempre acreditei que minhas palavras mudariam em algo a vida de quem lesse o que eu escrevo, tive mais certeza disso a partir dos comentários e das tantas pessoas que ainda acompanham o blog há anos. Me sinto feliz em poder compartilhar as coisas que sinto, vivo, penso, meus relatos. Adoro o feedback de cada um que fica alguns minutos lendo o que escrevo e deixa um comentário falando sobre si. 

Levantei apenas pra vim escrever isso, porquê todas as vezes que estive em "desespero" foi aqui que me refugiei, isso desde os 16. Já tomei remédios e hoje não quero mais, eles me faziam sentir incapaz de levantar, comer, viver, tomar banho e principalmente ver sentido nas coisas. Não quero voltar a ser assim, só quero colocar pra fora tudo o que não permite viver uma vida comum, com o mínimo de sanidade. 

Qualquer pensamento diferente do habitual, qualquer hábito diferente e que não esteja bom pra você no seu cotidiano, procure ajuda médica, procure ajuda. É por você, é pra você! Não deixe se tornar uma bola de neve descendo montanha abaixo, porque não sabemos como pará-la no meio do caminho, não sei como fazer isso ainda. E isso tudo é só a ponta do iceberg.

Cuide -se mais!

O que você tem feito pra se cuidar?

16/09/2019

Pesquisa de público do Blog Mundo de Nati

Após ficar uns meses sem postar com muita frequência estou voltando a ativa e quero conhecer vocês melhor, e pra isso trouxe um formulário bem básico e rapidinho de responder. O blog vai passar por algumas mudanças no decorrer dos meses e conto com a ajuda de vocês que estão aqui sempre presentes comentando ou então apenas lendo que é ótimo também.



12/09/2019

Não faça o que você não quer!



Uma das maneiras de evitar a autocobrança, é deixando de fazer várias coisas que te incomodam de alguma maneira, seja ela uma obrigação real ou algo que você colocou para si mesmo como uma obrigação real

O que é uma obrigação real? São compromissos que não temos como fugir, ou seja, estudos, trabalho e atividades domésticas para a nossa sobrevivência em paz e harmonia dentro do nosso lar. Entendido? Entendido! Por isso que você tem que escolher coisas que te fazem bem, desde as mínimas, até as máximas. Tudo (ou quase) depende apenas de você!

Não estou te colocando na parede pra te dizer o que você tem que fazer ou deixar de fazer, não é esse o meu intuito nesse espaço tão querido que eu construí, e sim te mostrar que você não é obrigada (o) a nada, sério, de verdade, acredite nisso.

Reveja seus conceitos, sua rotina, sua vida, as pessoas ao seu redor e selecione apenas as coisas/pessoas que te fazem bem. Não precisamos de situações, atividades e pessoas tóxicas em volta, a sua saúde mental vai agradecer e muito, acredito que em um mês passando esse filtro vai perceber a diferença. E é uma grande diferença.

Isso não é um conselho, é apenas um mini guia, bem mini mesmo, de uma pessoa que já passou pela autocobrança e que quer ajudar o máximo de pessoas possível para que deixem de passar, não passem e se afastem desse tipo de coisa, porque faz a gente perder muito tempo, além de todo o estresse causado. 

Feche os olhos e olhe pra dentro de si, encontre a sua paz, refaça o trajeto indo pelo caminho certo, que é aquele onde você sorri, onde se sente mais leve, onde fica feliz por estar e fazer, onde sente - se realizada (o) só de imaginar que vai estar lá. Consegue captar o que eu estou falando?

Tenha uma vida leve, faça as coisas ficarem leve. Não sofra de véspera, você não é um Peru e nem estamos no Natal. Pratique o exercício de viver um dia de cada vez, realizando as atividades daquele dia, levando as obrigações com mais tranquilidade, fazendo o que consegue hoje e o que não conseguir pode deixar para amanhã. Tire um tempo pra você, cuide - se mais, ame - se mais. Faça mais por você e pelo seu bem!

Se você chegou até aqui, me conta aí nos comentários o que você tem feito por você mesma (o)!

09/09/2019

Não se cobre tanto!



Cobrar - se tanto nos dias de hoje, no século onde a ansiedade está presente na vida de todo mundo, é  a pior coisa que a gente pode fazer. Acordamos com a ideia de que temos que otimizar o nosso tempo pra poder fazer tudo o que temos que fazer e não o que sentimos vontade de fazer na verdade, infelizmente tem sido assim pra muita gente. Há um tempo atrás estava sendo assim pra mim também, eu mesma, a que vos escreve e que já sofreu com crises intensas de ansiedade. 

Na era dos Millennials, onde você tem que criar listas de tarefas para não esquecer e ser produtivo o tempo todo, se desgastar diariamente dando o seu melhor em todos os lugares que você frequenta, executando todas as tarefas obrigatórias e as que não são e que se tornam também obrigatórias. Fazendo com que você se sinta pressionado, além do cansaço físico e psicológico.

Não há quem aguente tanta pressão!

Porém não podemos virar reféns dessa neurose sem fim. Temos que fazer as coisas no nosso tempo, do nosso jeito, como podemos e dependendo do que for como quisermos. 
Está tudo bem, fazer listas e querer concluir tudo no mesmo dia, mas tem dias que as coisas não saem como o planejado para que isso aconteça. E você não pode e nem precisa se sentir culpado internamente por isso, porquê se isso acontecer, está na hora de parar. 

Quando a cobrança interna ultrapassa os limites e afeta o seu emocional, automaticamente vai desregular tudo dentro de você chegando até a afetar a sua saúde física além da psicológica e acredito que isso nós não queremos, não é mesmo?

Então é chegado o momento em que paramos para analisar se o nosso comportamento atual que está nos prejudicando deve ser levado adiante ou se temos que modificar tomando novas atitudes para que isso não tome conta da gente por completo e não tenhamos mais controle algum sobre nós mesmos

É algo bem difícil de identificar, mas que não é impossível. A identificação da autocobrança acontece quando já estamos vivendo isso uns 50% mais ou menos, é reversível o quadro, entretanto para reverter você precisa analisar as coisas tóxicas ao seu redor e se livrar. Após esse primeiro passo, fique um pouco sem listas, faça o básico e faça mais coisas que você sente vontade, tente deixar as obrigações de lado e distraia - se o máximo possível com coisas que você gosta

Se você chegou até aqui, me conta aí nos comentários se você já passou ou se está passando por isso, talvez a gente conversar e eu possa te ajudar

05/09/2019

Conheça a Custom Necklace






A Custom Necklace é uma fábrica de joias situada em Hong Kong que conta com uma equipe ótima de designers para produzir joias personalizadas, lindas e modernas. Você pode optar em colocar o seu nome, as iniciais ou até pingentes de família, eles fazem usando a mais recente tecnologia em fabricação de joias, com preços ótimos.

Nessa opção name rings, você pode escolher até três nome diferentes para gravar na joia, além de poder escolher a fonte, tamanho e pedrarias, caso queira.

É bem simples e intuitivo, basta seguir o passo a passo no eshop.









E para as mamães também joias especiais e personalizadas feitas pensando exclusivamente nelas: In. Onde também pode ser escolhida a fonte, tamanho, material para ser gravado na joia.

Além dos aneis, eles fabricam braceletes, brincos. colares e correntes com ou sem pingentes. No site tem a categoria para as mamães, papais, vovós, vovôs, crianças, casais, amigos, mamães de pet, para dar de presente e inclusive para se auto presentear.

Os nomes podem ser gravados nos braceletes, nos colares em seus pingentes em formato de coração, de infinito ou se preferir seu próprio nome ser o pingente do colar. E dependendo da joia, se você não quiser gravar seu nome ou o nome de outra pessoa, pode ser colocado uma foto da sua escolha. Uma ótima opção pra dar de presente pra quem você gosta.

A entrega é por conta do cliente, após a escolha da peça, material, nome ou foto e quantas unidades deseja, é possível ver pela sua localidade quantos dias vai demorar, o prazo máximo é de 22 dias. Diga - se de passagem que é um prazo muito bom para um produto que será fabricado e personalizado da forma que o cliente quiser dentro dos parâmetros da empresa é claro. Sem contar que é de fora do Brasil.

Existem diversas opções para você escolher, acredito que você vai querer todas de tão lindas que são.

21/08/2019

Quantas vezes você já pensou em desistir?



Sinto vontade de escrever todos os dias, desde o começo do ano, sempre fico nesse vai e vem de querer fazer o maior sucesso, mas não conseguir escrever uma linha ou dar continuidade com as coisas que sinto vontade de fazer na vida.

Ficar me julgando todos os dias achando que não sou boa o suficiente ou que não irei conseguir fazer sucesso exercendo a atividade que quero, é o famoso auto boicote e que com certeza eu não estou fazendo sozinha isso. 

Infelizmente, conheço pessoas tanto na vida real quanto e muito mais no virtual que ficam se colocando pra baixo todos os dias, em todos os seus projetos, inclusive naqueles que estão no papel ainda, talvez se o jogo não virar dentro da nossa mente, eles nunca saiam do papel.

É tanto tempo escrevendo e tanto tempo sem escrever que talvez eu tenha perdido a mão, a inspiração, não saiba direito sobre o que escrever realmente ou isso tudo aqui não seja tão convincente. Prazer, apresento - lhes nesse parágrafo o meu auto boicote. 
(PRECISO PARAR DE FAZER ISSO!)

Aos poucos acredito que voltamos, que volto, que não farei mais textos de olha eu aqui outra vez. Pra escrever qualquer texto, preciso de mais do que um teclado e uma conexão com a internet, porque até numa folha de papel consigo escrever, mas dessa maneira ninguém vê. 

Enfim, é isso!
Não podemos mais ficar nos boicotando o tempo todo, vinte e quatro horas por dia como se isso fosse super normal, mas sabemos que não é. Só temos e precisamos criar novos hábitos redirecionados aos nossos sonhos e vontades.

Me conta aí, quantas vezes você já pensou em desistir?

25/04/2019

O meu retorno de novo



Faz tanto tempo que eu escrevo, quase onze anos ou já onze anos, não lembro mais. E pra mim sempre foi tão prazeroso poder falar tudo o que eu sinto, compartilhar com quem passa por aqui  - sempre ou esporadicamente -, as minhas experiências e saber que de alguma maneira essa pessoa se identificou com o que está escrito aqui. 

Reconhecimento é tão bom, é tão gostoso, antes mesmo de saber o que era e para o que servia já recebia e guardava com todo o amor e carinho dentro do peito, isso me deixava com orgulho por saber que aquele texto tinha sido bem feito.

O meu bem feito talvez não seja o bem feito que a maioria espera que seja, mas criar expectativas não é legal, sabemos muito disso, afinal as decepções estão aí para comprovar, não é mesmo? 
Escrever, alivia, me tira dessa agonia, me faz ver que a cada dia eu evoluí um pouquinho mais de uma forma diferente, além de me mostrar que cada um sente de um jeito e coloca pra fora da forma que é melhor pra si mesmo. 

Não estamos falando dos outros e sim de mim, eu mesma, dona desse blog, a pessoa que escreve sem ler tudo depois e que só corrige as palavras que o corretor do navegador apontam com o sublinhado ondulado vermelho.

Todo ano acontece a mesma coisa comigo apesar de sempre acontecerem coisas diferentes o tempo todo e todos os dias. Quem me acompanha deve perceber, mas pra quem tá chegando agora vou contar igual, cheguei a essa conclusão agora. 
Eu sempre paro de escrever por um tempo por não saber lidar com as emoções, sentimentos e pessoas ao meu redor, deveria saber trabalhar melhor isso, até porque são mais de dez anos escrevendo, mais de oitocentos textos, mas enfim, só na terapia mesmo pra conseguir assimilar. 

Independentemente de qualquer coisa, de qualquer situação ou pessoa, vim aqui e poder falar o que sinto é tão bom pra mim, me deixa tão feliz e é algo que sempre gostei de fazer, e por gostar vou e volto diversas vezes. Com o coração quentinho e cheio de sentimentos bons, inclusive muita positividade e fé.

13/03/2019

Sobre os meus pares



Todos eles ou a maioria deles sempre foram parecidos com o par de alguém conhecido da minha convivência ou de alguém que eu assisto, até um pouco parecido com alguém que eu cheguei a idealizar um dia na minha cabeça.

- Ficou um pouco confuso, mas acho que dá pra entender. - 

Identificava meus pares com todos os outros, mas eu não me identificava com os meus pares, é algo bem confuso, mas é assim que estou me entendendo agora. Os 3 últimos duraram 5 meses cada, nesse tempo eu estava ali presente, me doando e tentando achar mais coisas em comum, principalmente os sentimentos, que na verdade não existiam de verdade, era só o não querer ficar sozinho (a) de ambos.

Acredito que nunca tenha sido amor e sim vontade de dividir a vida, compartilhar as experiências, dormir e acordar do lado de alguém que propagasse um mínimo de afeto mútuo, mesmo que não fosse igual, fosse muito de uma das partes e não fosse como deveria ser com base na minha idealização que nunca vai existir. É, me conscientizei.

Não adianta ficar se espelhando no relacionamento alheio ou idealizar coisas pra mim mesma que não dependem apenas de mim pra acontecer. Posso idealizar as roupas que quero comprar futuramente pra compor um novo estilo ou um próximo post, mas ficar idealizando relações é furada, é ilusão e vai continuar causando frustração.

E depois chegar a essa conclusão não muito legal, apesar de ser muito construtiva para a constante evolução do meu ser, percebo que não vale a pena ficar pensando muito em coisas que envolvem outras pessoas de um modo geral. É estou generalizando mesmo pra não ter possíveis frustrações futuras por querer algo que não depende apenas de mim. 

Compartilhar esse relato com você que está lendo agora, me ajuda a aliviar as coisas que me incomodam, a ansiedade e todas as outras coisas que sinto, e acredito também que vai te ajudar de alguma maneira, porque com certeza eu não estou sozinha nessa.