30/01/2016

Vamos mudar de assunto?

Imagem: Weheartit


Quero te convidar pra sentar aqui e conversar um pouco, estreitar nossos laços que você diz que já são estreitos, vejo uma folga grande entre nós, precisamos mudar isso, pra falar a verdade precisamos mudar muitas coisas, principalmente as que não estamos gostando nos últimos tempos.

Não temos tempo pra nada, muito menos pra nos ver, te confesso que antes sentia mais vontade, sentia saudade e o meu querer era maior que hoje, acho que nem sinto mais nada disso, só o virtual me basta, porque reciprocidade não existe, é um pouco de ilusão da nossa cabeça mesmo. 

E cá entre nós, esse assunto já está saturado, fico esgotada só de pensar em falar, juro que essa é a última vez que faço texto e falo sobre, porque não vale mais a pena bater na mesma tecla, fazer a mesma receita, logicamente os resultados serão iguais, somos os mesmos ingredientes. 

Pensei que se mudássemos a ordem de colocar as coisas daria certo, mas não deu, então continuemos assim, você aí e eu aqui, apenas no virtual, talvez a receita certa seja essa e eu insisto em outra maneira de fazer, de trocar a receita, reformular as coisas, porém hoje sei que cada receita tem um modo de ser acondicionada, colocada na mesa e servida, a nossa passa mais tempo na geladeira do que na mesa. Acho que é isso, vamos mudar de assunto. 

28/01/2016

Nos teus olhos me vi



Te observar dormir era tudo o que eu queria naquele momento, pra falar a verdade em todos os momentos que tivéssemos a oportunidade de ficarmos juntos, poder te proteger e ficar junto de ti, sim, era isso o que eu queria para sempre. 

Os teus traços eram sinônimo de felicidade, de estar no paraíso, nunca tinha sentido isso por ninguém, senti que era tu, desde o primeiro momento, quando nossos olhares cruzaram - se no meio da rua, não sabia que seria tua tão rápido assim, uma surpresa boa em dias de tempestade. 

Meus dias não estavam tão bons quanto eu queria que estivessem, pra onde olhasse não via esperança de nada, queria ficar deitada o dia inteiro, quase em desespero, sei que era um erro agir dessa forma, mas já estava no automático, era involuntário. 

O círculo estava restrito, uma faixa de isolamento, onde não iria mais passar ninguém, não queria vítimas ali dentro, sem lamentações e muito menos lágrimas, afinal todos partiam sem dar tchau e eu já estava cansada daquela situação, não queria sofrer novamente.

Até que você chegou, de repente, como quem não quer nada e eu ali parada, sem ação, sem saber o que falar, fazer ou vestir, sem parar de investir para que te desse atenção o tempo todo, relutei, tentei te matar no cansaço com tantas recusas, porém desistir não existe pra ti, quem desistiu de evitar pessoas fui eu.

Arrisquei - me, cortei a faixa e te deixei passar, não sabia se era certo ou errado, apenas que poderia me magoar muito se me atirasse de cabeça em um relacionamento novo, de novo, mas fui com medo mesmo. Aprendi que as pessoas e suas atitudes não são as mesmas e que conseguiria contornar as coisas também, mesmo não estando totalmente no controle de tudo, temos que nos permitir mais, não só nessa situação, como em várias outras e nos dar a chance de ser feliz e fazer feliz.

26/01/2016

Pessoas que não dão tchau



Nada mais importa quando as pessoas que gostamos cruzam a porta da nossa vida sem dar tchau, sem dizer o porque estão partindo e nos deixando ali, boquiabertos, sem eira nem beira. Enquanto vocês estiveram aqui dentro esperei explicações de todos os motivos que não tinha a mínima ideia que existiam realmente, sempre achei que eram da boca pra fora. 

Houve pressa na partida, não percebi os preparativos, só vi vocês de costa lá longe no horizonte, apenas a sombra, os reconheci pelo formato do corpo e o modo como andavam, levaram tudo o que lhe pertenciam, mas esqueceram de me devolver aquela partezinha do meu coração que entreguei com todo o amor e carinho, sem imaginar que haveria despedida ou partidas.

Depois de todos esses tchaus não dados, aprendi que não devo dar meu coração pra ninguém e nem receber o coração de alguém, é muita responsabilidade, são muitos riscos, não quero mais esses riscos na minha vida, nem de ida e nem de vinda. Não quero mais estar nessa estrada de mão dupla, não tenho mais convites para a reciprocidade dos meus sentimentos que já estão secos, de tantas lágrimas que transbordaram. 

Estamos nos perguntando, talvez de quem é a culpa dessa vez, quem te deixou assim, quem me deixou assim, porque isso tudo aconteceu, quantas vezes, quantas pessoas, são inúmeras perguntas, que não precisam ser respondidas, afinal já aconteceu, as pessoas já partiram, já doeu e agora foi estancado com o amadurecimento. 

Nada vai cair no esquecimento, sempre irão estar aqui dentro em algum cantinho empoeirado, que não vai mais ser mexido, por cuidado, por respeito, porque essa parte do meu peito endureceu, minha mente preferiu colocar em outro canto onde eu não sei, não conheço e agradeço por não conhecer.

Antes de chegar e partir, de pegar o coração de alguém, pense bem, é isso mesmo o que você quer?


24/01/2016

O amor que desejamos


Guarde todas as suas roupas na mala, junte todas as coisas e vamos embora, não demora que vou te esperar lá fora. Dê tchau pra todos que você gosta, que são realmente importante e vamos partir logo, não deixe nosso endereço,  muito menos nossos telefones, se quiserem falar com nós dois, nos procurem nas redes sociais, onde não postaremos mais nada a partir de hoje, porque quero ser feliz de verdade do seu lado.

Não vou querer apenas um status, várias fotos com sorrisos de gesso em locais que todos sentem vontade de ir, mas não vão por algum motivo ou vários que desconhecemos, além da aliança de prata ou de ouro, na mão esquerda ou na direita, da tatuagem marcada na pele como se fosse um prêmio ou um carimbo fixo que diga: "- ei, ele é meu, tira o olho.". 

Quero poder confiar em você todos os dias, o ano todo e que você sinta o mesmo por mim também, porque é recíproco, sabemos disso, não precisamos provar nada pra ninguém, a não ser pra nós mesmos, todos os dias, todas as horas. Para que isso aconteça não precisamos fazer nada de tão grandioso, só os nossos pequenos e bons detalhes bastam, olhares, carinhos e palavras nas horas certas. 

O melhor de tudo, é não precisar te cobrar nada, até porque tu não me deve nada, quero poder apenas caminhar na mesma estrada, de mãos dadas, observando o horizonte e rindo de coisas bobas. Hoje, não há nada que nos impeça de viver esse sonho, de realizá - lo um pouquinho de cada vez. 
Acordar todos os dias e poder apreciar o teu sono e achar que não é verdade, aproveitar cada pequeno momento da nova realidade é o que me deixa mais feliz. 

Não precisa me dizer nada, sei que você sente o mesmo que eu, fomos feitos um para o outro, mesmo morando tão longe, sem um motivo lógico para que nos encontrássemos um dia, mas isso aconteceu e foi tão lindo desde o começo que não quero nem imaginar a palavra fim, isso não vai nos pertencer tão cedo. 

Apesar de todo o medo que temos do outro querer partir, ao mesmo tempo sabemos que não há nada que nos faça querer isso. Ficaremos aqui, de mãos dadas, caminhando na mesma estrada, apreciando nosso jardim, envelheceremos juntos, sentados na varanda, relembrando o inicio de tudo, do nosso amor.

21/01/2016

Meu cabelo, minhas regras

5 anos
Nunca gostei de me pentear, desde que me entendo por gente, quando eu tinha uns 3 anos. Minha mãe me disse quando falava em cortar cabelo, eu dizia: "- cabelo curto, mamãe.", sinceramente não lembro dessa parte, mas se mamãe disse, vamos acreditar. Não era muito fã de penteados, mas ficava bem bonita com as chiquinhas que minha vó fazia, ficava parecendo um ursinho. Durava pouco tempo cabelo grande, como é até hoje.

Desde os meus 10 anos corto meu cabelo sozinha em casa, lavar, passar creme, desembaraçar, prender ele de qualquer jeito e sair passando a tesoura escolar mesmo, sem culpa nenhuma. Nem sabia que pra cortar cabelo crespo tem que ser com ele seco, porque ele diminui de tamanho por ser enrolado, então se você cortar ele molhado vai ficar menor do que tu quer que fique, e de preferência usar uma tesoura profissional ou semi pra não danificar teus fios. Todas essas técnicas não importavam naqueles momentos: eu, espelho, tesoura e cabelo. Só queria sentir a sensação de liberdade que dá e a felicidade de ter ficado do jeito que eu queria, mesmo ficando um lado maior que o outro e todo errado.

2, 4 e 6 anos


Todos achavam que eu não deveria cortar o cabelo, porque ele é crespo e demora pra crescer, o meu não demora tanto assim, em 1 ano ele dobra de tamanho, não entendo muito sobre como, quando, quanto cabelos crescem, por mim não precisam crescer tão rápido.
Encontrar alguém que corte cabelo crespo sem medo é bem difícil, por não querer alisar e medo de pagar pra que cortem errado cortava sozinha, ficava errado gratuitamente.

Ele vai crescendo e eu fico achando que ele tá errado, que tem uma ponta aqui, uma ponta ali e vou passando a tesoura um pouquinho todos os dias, alegria define o passar da tesoura nas mechas. Em 2015, estourou os cabelos coloridos, sempre achei o máximo, porém meu cabelo estava com uma tinta preta, tive que descolorir os cabelos pra poder aplicar a tinta fantasia roxa. Primeiro passei a tinta fantasia sem descolorir, pegou, mas foi saindo rápido, até demais pro meu gosto. Tive que retocar, dessa vez descolori, usei: 2 pacotes de pós descolorante Yamá e 2 embalagens de tonalizante ulktra violet da Keraton, e onde eu fiz tudo isso? Em casa mesmo, palmas pra mim.



É isso mesmo o que tu tá pensando, caguei no cabelo, a tinta fantasia saiu rapidinho, fiquei com o cabelo parecendo um arco íris por ter descolorido, mas pelo menos fiz o que eu queria e estava satisfeita com a cor. Óbvio que ouvi críticas negativas, mas o cabelo de quem é? Meu, então ninguém tem o direito de chegar e dizer o que bem entende, ainda mais se não tem intimidade pra isso.
Passei uma tinta por cima e voltei com a cor que estava antes, um preto meio castanho, não era roxo e tava bom, fiz pra experimentar, passou o encanto e perdeu a graça.



Estava louca pra cortar o cabelo, mas em função do serviço não podia, até que me revoltei e cortei, seja o que Deus quiser. Não cortei em casa, não tenho mais coragem e nem tenho a mínima ideia de como começar a cortar, perdi a prática, fiquei com medo mesmo e fui num profissional cortar. A expectativa é uma e a realidade é outra, não podemos nos iludir com as fotos dos cortes maravilhosos que tem no Pinterest e pela internet afora, porque: nosso cabelo é diferente do da modelo, acho que isso é o principal e o jeito que fica no salão após o corte, não vai ficar em casa, pensa bem antes de escolher.

Não sei o que aconteceu na primeira foto, não usei filtro e ficou assim.

Gostei do resultado, porém ele foi crescendo e eu fiz o que? Isso mesmo, fui cortando com aquela mesma tesoura de 13 anos atrás, pra ir ficando do jeito que quero, espero e venero. Cresceu de novo, em um mês e meio quase, vou ter que cortar de novo, ajeitar o corte na verdade e seguir o baile da tesoura nas pontinhas que não estão onde quero que estejam.

Pensei duas vezes antes falar do vídeo que eu fiz indignada depois que me disseram que não gostaram e mimi, mas acho que vocês tem que ver essa parte. No vídeo eu já tinha dormido, foi no dia após o corte. 


E aí, o que você prefere: curto ou comprido?  

18/01/2016

Livre - se e seja feliz


Inventei um quadrado, de um material transparente, é bem refrigerado e dentro dele tem tudo o que eu preciso. Não quero mais coisas desnecessárias, pessoas desnecessárias, aprendi a filtrar o que vale mesmo a pena. Não chamo mais ninguém. Não quero mais ninguém. Não quero escutar os seus problemas. Não quero escutar as tuas choradeiras. Não quero te ouvir chorando de barriga cheia. Cansei de não ser escutada. Sabe desde quando eu venho falando sobre isso? Desde que me entendo como gente. Não vem me dizer que é normal, que é drama. Não fale do que não sente. Não fale de opressão sem ter sido oprimido. 

É um assunto infinito, que talvez pudesse citar todos os nomes aqui, todos os motivos. É rancor? É sim. Tudo na vida é aprendizado, tem certas coisas que precisamos viver 1, 2, 3 ou mil vezes para poder aprender de verdade e parar de ser idiota, que isso o que as pessoas pensam de nós. Perdi as contas de quantas pessoas me fizeram aprender tudo o que aprendi até hoje, mas agradeço, apesar de todo o rancor, porque foi assim que construí a minha estrutura e dela não quero mais sair, a não ser que apareçam novas pessoas que consigam valorizar as coisas, os momentos e que não façam do meu coração um pedaço de papel cheio de rascunhos bobos. Enquanto isso não acontecer, continuarei aqui, na minha, não querendo saber de vocês.

"Ai Natália, não sente rancor, é ruim pra ti, não podemos alimentar sentimentos ruins dentro do nosso coração." Só que as pessoas podem fazer o que bem entenderem quantas vezes quiserem, agem como se nada tivesse acontecido, e se tu não é pateta pra escutar as besteiras delas, elas reclamam que tu tá estranha. Isso tá certo? Não, isso não tá certo, não é certo. Então não venha me julgar com seu falso moralismo, dizendo que é coisinha da minha cabeça, que to fazendo drama, se tu não sente o que eu sinto, não venha falar o que não sabe. 



Não é de hoje que falo sobre esse assunto, não queria falar sobre e dar tanta importância pra pessoas tão pequenas, mas elas só rateiam comigo, não valorizam a minha amizade, não se importam com o que eu digo, só tenho a agradecer pelo aprendizado. Aprendi, passei em todas as cadeiras e to com o diploma em mãos, pronta pra dar aula dessa disciplina, não quero mais ver ninguém sofrendo por causa de alguém vazio que não reconhece os reais valores das pessoas e da vida. Quem precisar de uma aula particular, uma aula de reforço, conta comigo, me encontre nas redes que te dou todo o apoio necessário pra passar nas cadeiras que você tiver com mais dificuldade. 

16/01/2016

Minhas tatuagens

Há 5 anos atrás fiz minha primeira tatuagem, exatamente em 8/12/2011, tinha 18 anos e nunca tinha pensado na vida em fazer tatuagem, até que do nada surgiu essa paixão e fiz. Tem um post que fiz sobre o Dente - de - leão.
Como todos sabem eu tive um relacionamento, tem vários textos sobre a novela mexicana que protagonizei, estava cega, achando que seria pra sempre, fiz em catorze de outubro de dois mil e treze, no dia achei o máximo, pra selar o nossa relação, valia bem mais que a aliança que tinha no dedo, afinal eram 8 anos de vai e vem na época. Fiquei bem faceira, porém a novela acabou e a tatuagem ficou aqui no meu braço direito, ainda bem que não escrevi o nome dele e nem ele o meu, fizemos a mesma tatuagem, no final eu fiz um coração e ele um diamante. 




























E a terceira foi os ícones de de reprodutor de música em 17/01/2015. Todas as tatuagens tem um significado muito importante pra mim e essa não foi diferente. Sabe aqueles momentos da vida que tu quer pausar, repetir, voltar, prosseguir ou então tu tá cansado de tudo que só quer que toque no aleátorio? É isso que ela é. 


E aí, o que você achou? Me diz nos comentários, e se tem tatuagem também. 

11/01/2016

6 Vídeos que você tem que ver | 3

A Chell e a Marcela fizeram um vídeo dizendo que a sexualidade de cada um não tem cara, não tem jeito, não tem manias, não um código de barras que as pessoas scanneiam e conseguem identificar sem nem que a pessoa fale algo. Ninguém tem nada a ver com a vida do outro, opções, escolhas, definições, como queiram mais, cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é. 


A Lisiê do Sapataria TV também tá dando o seu recado pra pararem com os seus pré julgamentos sobre a homossexualidade. Todo mundo diz que é opção, mas não é opção, você nasce desse jeito, não tem um botão pra escolher entre homo ou hétero, da mesma maneira que não tem nada de ruim. 


Sabe aquela cobrança que a sociedade deposita em todos nós, principalmente nos vinte e poucos anos? O Frederico vai falar um pouco sobre isso conosco, com certeza vai clarear muito as tuas ideias e te deixar mais aliviado, porque cada um tem o seu tempo, tu não tem que fazer o que querem que você faça e sim o que você quer fazer.


Quem não conhece a Mallu, o Marcelo e o projeto deles que é a Banda do mar?! Essa música traduz tudo o que queremos, estar ótimos e não nos importarmos tanto com os outros, coisa que a maioria de nós fazemos, ficamos dando bola para o desabafo dos outros e não fazemos coisas para melhorarmos, em todos os sentidos. Vamos ficar ótimos?


Na semana passada uns lindos que se chamam Vagabonde fizeram um clipe da música Fome com black face e falando de racismo reverso, porém o branco não sofreu e nem sofre a opressão que o negro sofre todos os dias, em todos os lugarem, todo momento. Foi uma forma infeliz de querer fazer sucesso no Youtube. Concordo com tudo que o Toddy falou.


Conheci a linda e maravilhosa da Barbara Cavalcante há uns 2 dias e já vi quase todos os vídeos dela. Ela pesava 120kg, sofreu distúrbios alimentares e agora ela preferiu viver melhor sem tantos quilos. Todos os vídeos dela passam uma mensagem de motivação, força e foco, que podemos e temos que levar pra vida toda, pois além dos quilos extras que nos atrapalham tem outras coisas que não precisamos. Dá o play e presta atenção em tudo o que ela tem pra te ensinar e leva pra vida, tu vai ver a diferença depois. Encontre - a nos seguintes links: Blog, Twitter, Facebook, Instagram e no Snap barbaradoblog.

10/01/2016

A Blogosfera de 2008




Quando eu comecei em 2008 a escrever, tinha 15 anos e precisava desabafar, mas pra pessoas, com pessoas que me entendiam totalmente. Na verdade, eu não sabia como as coisas funcionavam, ficava muito tempo na internet, passava por muitas coisas e guardava tudo aqui dentro, até que um dia me disseram: cria um blog, escreve, isso vai te fazer bem.

E não é que fez? Ainda faz! Os anos passaram e automaticamente junto com eles, as pessoas, as coisas, as formas de comunicação e com certeza a nossa querida Blogosfera também. Antes era só clicar em "criar nova postagem", traduzir seus sentimentos em palavras e publicar, todo mundo fazia isso. Não tinha nada de layout responsivo, hospedagem, publieditorial, publicidade em todos os cantos, de todos os jeitos, uma busca incessante para aparecer nas mídias e ganhar produtos. 

A maioria das gurias que começaram comigo desistiram de seus blogs, por vários motivos, escreviam com o coração dava pra sentir em cada linha. Era gratificante escrever textos chorando e várias pessoas identificarem - se e comentarem o quanto gostaram. 



No orkut tinha grupos de postagem coletiva, o que eu mais gostava era o Blorkutando, participei algumas vezes. Hoje no Facebook tem vários grupos, mas as outras meninas mais "famosinhas" só dão atenção quando a postagem é de alguma menina que também é "famosinha". Vejo que não há mais tanto espaço pra quem só quer "desabafar" ou falar sobre o que pensa, se tu quer que todos leiam tem que fazer DIY, falar de maquiagem, cabelo e moda, aquele velho copia e cola na maioria das vezes ou o mesmo assunto em vários blogs diferentes.

As más línguas dirão que é recalque, por eu não ter 49052033 leitores e nem 9084047907307 seguidores, mas o ponto no qual quero chegar é que ninguém mais valoriza os sentimentos, querem apenas o status que números e produtos dão nas redes. Todos dizem que o sol é pra todos, mas não consigo ver isso, não tenho certeza disso. 

Talvez eu tenha que acompanhar o ritmo das coisas se quiser que alguém além do meu irmão, da minha mãe, duas amigas e no máximo 5 amigos do facebook leiam o que eu escrevo. Na verdade não acho certo fazer o que não gosto pra ser igual ao resto e ter status, não posso escrever sobre coisas que não gosto pra agradar quem quer ler um tutorial de comida fitness ou de decoração de home office, tenho que escrever sobre o que eu gosto e quero, mesmo que a maioria das pessoas não se identifiquem com nada. 

E você, começou quando? Me conta do que sente falta.

06/01/2016

Meu negro, minha negra

tirei daqui 


Luto pelo o que eu acredito e não pelo o que querem que eu lute. É errado a mulher abaixar a cabeça pra homem, pra sociedade e deixar barato todos os desaforos e maus tratos que sofre diariamente em todos os lugares que frequenta, desde sair de casa até a hora de voltar, isso quando também não passa por maus bocados dentro de casa. 

Não é certo, estar em casa e ser abusada sexualmente pelo padrasto, parente ou vizinho. Ter filhos e sustentá - los sozinhos como se tivesse feito sozinha. Apanhar do marido e continuar aguentando a situação para que os filhos tenham o que comer. Precisar de algum serviço elétrico ou hidráulico e o prestador de serviço dar em cima dela. Utilizar do precário transporte público lotado e homens ficarem se roçando nela. 

Nós mulheres somos abusadas e exploradas em todos os sentidos, em todos os lugares e de todas as maneiras, a maioria aceita, não percebe e até acha normal, por ter sido criada desse jeito, com a cultura da submissão ao homem, à sociedade. 

Por ser mulher tu não precisa aguentar abusos e maus tratos, a violência, as humilhações, o salário menor, tu não pode ser submissa e deixar barato. Tem que se unir à mulher iguais a ti e lutar pelos teus direitos, sei que uma andorinha só não faz verão, mas uma motiva a outra e daqui a pouco serão um milhão. 

E se tu for mulher negra, a coisa é pior ainda. Te ridicularizam, te chamam de macaca, subestimam a tua capacidade. Se tiver no processo seletivo de uma empresa uma negra qualificada e uma branca sem experiência, a vaga é da branca. Eles dizem que vão te ligar, mas não te ligam. Tu pergunta as horas na rua e acham que tu vai assaltar.

O menosprezo é maior. Negra pode estar no mesmo ambiente que tu, só se for limpando ou te servindo. E se a negra abre a boca pra reclamar do racismo que sofre dizem que é vitimismo, mas ninguém passa pelo o que a negra passa, ninguém ouve as piadas, ninguém é subestimado, as pessoas não tem nojo de dar o troco na sua mão por não querer encostar em você. 

Negro não pode correr na rua. Tu já viu algum negro praticando exercícios na rua? O negro não pode ser bem sucedido, não pode entrar na faculdade e concluir o curso do incio ao fim sem ter sofrido algum preconceito, não pode ter um cargo superior em alguma empresa, não pode ser protagonista em novela, nem em filme, não pode ter um vocabulário formal, não pode andar mau arrumado pra não ser confundido com ladrão e mesmo assim, muitas vezes é, não podemos frequentar um restaurante mais caro, não temos liberdade de nos expressar como o branco faz. 

Se a mulher branca pinta o cabelo de roxo é lindo e charmoso, chega a virar tendência, mas se é a negra, os comentários são: "bem coisa de nego", "vileira", "maloqueira", "fez negrice", entre outros mais que você pode até ter pronunciado e fazer parte do seu vocabulário. É um absurdo nos privarmos do que queremos fazer, dos lugares que queremos frequentar por causa da ignorância alheia. Só queremos ter os mesmos direitos de ir e vir, entrar e sair dos lugares sem passar por humilhações, constrangimentos e ridicularizações, também trabalhamos e temos o direito de comprar nos mesmos lugares que as pessoas de pele mais clara que a nossa.

Infelizmente o racismo, preconceito e discriminação é muito grande ainda e está presente diariamente no cotidiano de todos nós, seja por ser mulher, por ser negra, por ser pobre, por trabalhar em shopping, por ter cabelo black power, por mil motivos. Todos tem que entender que não é vitimismo, tudo isso acontece diariamente na vida de todo mundo, a maioria não percebe ou deixa pra lá, por já estar acostumado a conviver com isso, porém não podemos nos acostumar com essa massa opressora, com seu vocabulário racista e seu preconceito ridículo.

Preciso que tu enxergue que tu é capaz de ir à luta e não aceitar mais toda essa opressão. Não deixa acontecer, não deixa pra resolver depois, racismo é crime. Se tu abrir a boca e falar, outras irmãs vão fazer o mesmo, não abaixe a cabeça para essa sociedade opressora e machista que quer te calar.

04/01/2016

NÃO QUERO MAIS TE OUVIR

Você me adora





[leia escutando Me adora]
Era cedo, coloquei a mochila nas costas, deixei o celular, exclui todas as redes sociais e fui embora. Não deixei endereço pra ninguém, apenas fui pra onde o vento estava me levando. Também não sabia pra onde estava indo e nem pra onde queria ir, só queria sair dali, parar de conviver com todas essas pessoas hipócritas, que só querem receber e na hora de fazer o mesmo sempre fogem. 

Cansada da mesmice, do marasmo, do tédio que as pessoas provocavam, e como o tempo passava e ninguém se renovava, eu não conseguia me renovar, queria, mas parecia que a bunda não saia do sofá, daquele lugar perto da janela. 

Desse lugar era onde eu via passar os vizinhos a pé ou de carro e eles sempre davam um jeito de espiar aqui pra dentro, pra toda essa bagunça que nunca é arrumada, que só muda de espaço. Nem a bagunça consegue se renovar, é sempre a mesma coisa. Tava cansada disso também, apesar de ser todo dia um vizinho diferente, eram vários, que se dividiam em dois prédios pequenos, e que tinham tantos apartamentos.

Me acha foda


Quando eu era menor queria ter vários amigos, os de verdade sabe? Aqueles que tu pode contar a qualquer hora e a qualquer momento, que tu tem certeza de que se tu esticar a mão pra ele hoje, amanhã ele fará o mesmo pra ti, só que não. Sempre fui muito solicita com todos, esperando a retribuição que nunca veio. 

A vida me mostrou que as pessoas são egoístas sim, só pensam em si e só irão ser teus amigos se você puder dar algo muito bom em troca, que seja atrativo o suficiente, porque se tu não tiver nada que eles queiram, vão te excluir de tudo sempre, e ainda vão falar mau de ti. Hoje não faço questão de amigos, minha mãe e meu irmão me bastam, sei que a amizade e o amor que eles tem por mim é sem esperar nada em troca, tenho certeza de que eles vão estar comigo sempre independentemente de qualquer coisa. 

Todos que me chamam pra conversar só sabem reclamar, acham que eu sou como um penico que tu expele tudo o que não está te fazendo bem, depois que expelem me deixam no vácuo como se eu também não precisasse desabafar, não precisasse e quisesse desabafar, e ainda dizem que são amigos e que adoram minha amizade. 

Todas as tentativas foram em vão, eles fazem sempre o mesmo, falam um milhão de coisas, dou conselhos e quando chega na minha vez, a pessoa some, vai pra rua, pra Nárnia, dorme, vai pra balada e me responde 24 horas depois. Eu preciso disso? Não. Você precisa disso? Não. Então tá na hora desse jogo virar. Ah e pra não ficar uma situação chata me perguntam se estou bem, digo que sim e ficam surpresas, acham que por eu ter minhas obrigações tenho que estar triste, cheia de problemas, escolhi por não criar problemas, creio que se tu tem problemas é tu que cria, então resolver e não criar são as melhores escolhas da vida, pra vida, pra tudo.

Tantas decepções eu já vivi


E é sempre aquela história de eu ser solicita, ajudar sempre com o possível e o impossível e a pessoa faz o que? Vira as costas, passa por mim e finge que não me conhece. Aprendi a dizer não e agir da mesma maneira, porque chega de fazer papel de trouxa, temos que filtrar tudo e todos.

Temos sentimentos, não precisamos de pessoas assim na nossa vida. Quem não está com esse tipo de situação fica triste, sente - se rejeitado e tudo mais, mas como eu já estou acostumada não estou mais me importando tanto, não é algo que eu vá chorar, ficar triste por dias e tudo mais, é apenas mais uma decepção de várias, mais um aprendizado. 

Então, vamos lá! Tem alguém assim na tua vida? Tu precisa dessa pessoa? Tu quer ouvir os problemas dos outros? Acho que não, né!? Tira da tua vida quem te incomoda e perturba, tu não é obrigada. 

Aquela foi de longe a mais cruel


Quem ler vai achar que é indireta, não me importo com isso. Importo - me com o que eu sinto apenas, e se isso não está de acordo com os termos de uso da amizade tradicional, convencional, como queiram definir, tem que ser escrito e todos merecem ler. 

02/01/2016

Mateus Aquino - Fotógrafo



Entrando e saindo de perfil em perfil, eis que encontro no nosso lindo e amado Facebook, a página desse profissional maravilhoso, assim como está no título, chama - se Matheus Aquino, fotógrafo baiano de Salvador, tem 21 anos e trabalha profissionalmente com fotografia há 2 anos.

Perguntei - lhe: Por quê havia escolhido a fotografia e ele me respondeu com naturalidade: -" Eu acho que não escolhi a fotografia, foi ela que me escolheu. Eu sempre fui muito observador, sempre gostei de ver e analisar as coisas. A fotografia, em sua infinidade, percebeu isso em mim e eu pude usufruir dela."



O trabalho dele que mais me chamou atenção foi o POWER EDITORIAL (clique para ver todo o editorial), que endeusa e valoriza os cabelos crespos como forma de aceitação à sua beleza e forma. Não é moda, é DNA!
Produção: Matheus Aquino. Assistência: Marco Menezes.

Admire mais o talento dele nos links a seguir:

O que vocês acharam do trabalho dele?