31/03/2016

Distinção de Gêneros



Não é meia dúzia de marcas que farão o mundo, melhor dizendo, as pessoas que o habitam de mudar seus pensamentos sobre o homem que se veste de mulher e a mulher que se veste de homem. Lançar roupas "sem gênero", não é uma revolução enorme que irá mudar a vida das pessoas, os modelos dos editoriais vestindo as roupas que sempre existiram, mas que agora só mudaram mais uma vez os rótulos é bonito, é aceitável, é moda, é tendência, tudo de bom, desde que não seja perto de você. 

Perceba que as peças sempre existiram, todos sempre usaram e agora porque aparece na TV é moda, tendência para todos seguir. Como se fosse a coisa mais inovadora do mundo, mas não é. Entenda que a moda não dita a tendência do respeito, dita o que faz com que eles lucrem mais, e no momento a luta contra rótulos nas redes sociais está maior que nos anos anteriores, da mesma maneira que o empoderamento, isso faz parte do empoderamento, porque um homem usando vestido é engraçadinho, desde que não seja seu filho. 

Aí eu te pergunto:
Quantas mulheres você conhece que usam roupas da sessão masculina?
Quantos homens você conhece que se maquiam?
Quantas mulheres você conhece que não queriam ser mulheres?
Quantos homens você conhece que compram roupas com estampas mais femininas possíveis?

Quantas pessoas você conhece que estão insatisfeitas com suas imagens e por medo de ser excluído do meio onde vivem ou até expulsos de casa continuam dentro dos padrões que a sociedade determina?! Nem precisa responder, porque talvez até você tenha medo de mudar por causa do tanto de nãos que vai levar e críticas, que convenhamos são desnecessárias. 

A mudança sobre rotular as pessoas tem que partir de dentro de cada um, você não precisa fazer o mesmo que a Maria que se veste de João, o João que se veste de Maria ou o Pedro que se veste de Maria e de João ao mesmo tempo, ter compaixão pelo próximo e respeitar já está de bom tamanho.

Temos que ter em mente sempre que cada um sabe o que é melhor pra si. Se a escolha da pessoa é essa, deixe - a em paz para viver as consequências de suas escolhas. 
Com o tempo o mercado de trabalho aprenderá a lidar com isso para que todos consigam conquistar seus espaços, para mostrar toda a sua capacidade e sabedoria para os cargos que se candidatarem sem que sofram discriminação e percam suas chances de explanar o bons profissionais que são independentemente da aparência, do gênero e sexualidade. 

29/03/2016

Lembranças de Outono

imagem: weheartit


As imagens estão repetidas, não quero cutucar nas feridas, apenas mostrar o que o tempo fez conosco nesse tempo longe um do outro. Passei por tantos sufocos, nas vezes que levantei a cabeça achei que você estaria ali, me enganei mais uma vez, continuei criando expectativa, tolice da minha parte, acreditar que apesar de tudo te encontraria em algum lugar mesmo que simbolicamente. 
Sem razão alguma, pois joguei fora tudo o que me lembrava: você; eu e você; nós. Jogaria fora outras tantas vezes se assim fosse necessário, porque só desse jeito conseguiria me livrar de lembranças próximas, que agora estão adormecidas, agradeço eternamente por isso. É algo que não me perturba mais.
As vagas lembranças que surgem quando me pego olhando pro nada me fazem sorrir, de leve, suavemente, como se aquele momento tivesse acontecido ontem. A sensação é de paz, simplesmente momentos bons com uma pessoa que fez parte da nossa vida e que não faz mais, foi - se como as folhas de outono sopradas pelo vento, tão lindas e leves que nos fazem ter esperança de que a próxima estação será melhor. 

27/03/2016

A melhor escolha


(não reparem na minha cara de sono e nem no meu cabelo amassado, vamos nos amar)

Sem generalizar e muito menos radicalizar, nesses 24 anos de vida, a melhor escolha que fiz foi de ficar solteira, me livrar de um relacionamento abusivo que eu nem sabia que fazia parte, não sabia identificar e achava que se não ficasse ali, ninguém mais iria ficar comigo. Tinha medo de ficar sozinha, ou seja, ficar sem alguém pra beijar na boca e transar na hora que quisesse, porque era só isso o que tinha de real oficial em todos esses anos de relação. 

Podem até dizer que já passou, que já está na hora de partir pra outra, ter outra pessoa, porque só assim serei feliz novamente. A liberdade que eu descobri que era minha e estava escondida, presa nesse cárcere privado onde vivi por tanto tempo mesmo não morando junto, me faz tão bem que não quero deixar que a prendam de novo. 
Não é medo, é prevenção.

O amor próprio, é o mais bonito e o principal a ser cultivado, pra vida toda, em qualquer ocasião e todas as pessoas deveriam saber disso para praticar o tempo todo. Quando você souber o real significado da liberdade misturada com o amor próprio e tudo o que ambos tem a te oferecer, como é bom viver assim, vai pensar bem entre viver a sua vida ou viver totalmente a vida de um outro alguém, que no fundo, nós sabemos, não se importa com você.

21/03/2016

Medo da bad

imagem: weheartit


Não é que eu esteja fugindo de você, apenas não quero te conhecer, quero evitar qualquer sofrimento, qualquer decepção que essa nova/possível relação que a vida esteja me reservando com você. Também não estou me escondendo, nem estou em uma redoma, preferi construir um muro do que pontes para relacionamentos. Não sou obrigada a viver algo que não tenho paciência e nem saco pra mimi, e pra falar bem a verdade traumatizei. 

Superei o principal, foram oito meses árduos, para me livrar das lembranças e saudades, das manias e por fim, do sentimento que na verdade tinha deixado de existir faz tempo, o amor. Tinha outro sentimento que atrapalhava com tudo, o de posse misturado com o comodismo. Fujo, corro, atravesso a rua se ver algo parecido, prefiro evitar bads do que me atirar de cabeça e sofrer tudo de novo.

19/03/2016

TAG: Liebster Award - Descobrindo novos Blogs





Fui indicada para responder uma tag bem interessante pela Izabeta do blog Le Monsieur. 
  • Regras:
Escrever 11 fatos sobre você;
Responder as perguntas de quem te indicou;
Indicar de 11 a 20 blogs que tenham menos de 200 seguidores;
Fazer 11 perguntas para os blogs indicados;
Colocar a imagem que mostre o selo da Liebster Award;
Colocar o link de quem te indiciou;

  • 11 fatos sobre mim:
  1. Adoro a cor azul
  2. Fico admirando o céu
  3. Não gosto de maquiagem
  4. Amo pintar as unhas
  5. Durmo de cobertor inverno e verão
  6. Prefiro cabelo curto 
  7. Não gosto de meninas ou meninos, gosto de pessoas
  8. Doce com salgado é a melhor combinação
  9. Passo todo o meu tempo livre na internet
  10. Não quero ter filhos
  11. Não sei cozinhar
  • Perguntas:
  1. O que te fez criar o blog? A falta de alguém para me entender sem julgar e poder desabafar livremente, praticamente uma válvula de escape e escrever foi a melhor forma que encontrei para aliviar o que transbordava dentro de mim.
  2. Qual a sua maior inspiração para continuar escrevendo? Continuo pelo mesmo motivo de 8 anos atrás, o fato de querer expressar o que sinto, o que me incomoda, sem represálias.
  3. Foi difícil escolher o nome do blog? Sinceramente, não lembro do grau de dificuldade e nem se alguém me ajudou a colocar, mas acho que esse nome é o melhor, porque é sobre o meu mundo, meus sentimentos e o que eu gosto.
  4. Um sonho? Viver de internet.
  5. Blogueira que te inspira? Bruna Vieira.
  6. Uma viagem dos sonhos? Maranhão.
  7. Não vive sem? Internet.
  8. Seu maior medo? Morte.
  9. Na sua bolsa não pode faltar? Não uso bolsa.
  10. Uma mania? Ficar enrolando uma mecha do cabelo, mesmo ele sendo curto.
  11. Uma cor de esmalte? Azulcrination.
  • Blogs indicados:

As perguntas a serem respondidas são as mesmas que respondi. Quem fizer deixa o link nos comentários. O que vocês acham de tags? Gostaram dessa? Até a próxima!

16/03/2016

De aparências



Amiga, vem aqui, vamos conversar um pouquinho, não quero que você se sinta sozinha nesse momento, tão triste, no qual você se sente perdida mesmo estando rodeada de tantas pessoas que te dizem amar, mas que na primeira oportunidade te dão as costas em forma de resposta ao seu choro silencioso. 

Eles estão mentindo pra você, o tempo todo, sabemos disso. Eles querem a sua companhia nos momentos de risos frouxos regados com bebidas alcoólicas e som alto, mas quando aperta o sapato e a calça fica curta, todos fogem tão rápido que nem conseguimos acompanhar. 

Tenho um segredo pra te contar, não quero te magoar e nem sei como começar, respira e te prepara. A verdade é que ninguém mais além de mim se importa com tudo o que tu sente. O intuito é te mostrar a verdade, fazer com que tu enxergue além do horizonte e saia da zona de conforto, o recomeço é bom, assusta, mas é necessário. 

Um dia, quando amadurecer um pouco mais, irá valorizar quem merece de verdade e não só quem vive de aparência, superficialmente. Hoje você vai me odiar, e amanhã irá perceber que ter me deixado partir foi a pior escolha involuntária que já teve em toda a vida. 

15/03/2016

Como pagar essas contas?



Somos cobrados a todo instante, em todos os locais, todas as situações, por todas as pessoas conhecidas ou desconhecidas, querem que façamos tudo padronizado:

  • ensino fundamental
  • ensino médio
  • emprego
  • faculdade
  • pós
  • mestrado
  • casamento
  • casa
  • carro
  • filhos "lindos"
  • trabalhamos até nos aposentar
  • viagem pra serra no inverno
  • viagem pra praia no verão
  • corpo magro
  • ter uma família de comercial de margarina
  • roupas da moda
  • cabelo liso e comprido
  • dentes brancos
  • mulheres com roupas femininas
  • maquiagem
  • salto alto
Nos cobram praticamente da mesma forma, não tem como evitar, nascemos com todas essas cobranças e outras mais que não vieram aos meus dedos agora e que se vocês quiserem podem completar a lista pelos comentários. 

É uma pressão que te faz surtar se você não tiver uma estrutura psicológica preparada para preencher esse formulário da vida. Não esquecendo que pra cada coisa dessa lista, tem um tempo universal estipulado para ser feito, queimar o tempo faz com que as cobranças aumentem e você se sinta uma pessoa frustrada com vontade de desistir de tudo, mesmo não podendo desistir. 

Não vou desistir, você não vai desistir, não vamos dar o braço à torcer. Temos o nosso tempo próprio e nenhum é igual ao outro. Tem pessoas que só querem viver a sua arte na praia outras querem conquistar o mundo, também tem os que não querem ter filhos e muito menos casar. A cobrança é generalizada, porém não é todo mundo que entra nessa neura para deixar - se pressionar de tal maneira que pire o cabeção.

O mais certo é tu listar tudo o que quer fazer no ano que está vivendo, no mês, nessa semana, no dia de amanhã, agradecer pelo ontem, pelas felicidades e conquistas, mesmo que mínimas que teve e dormir, porque amanhã é outro dia e cada um sabe o que é melhor pra si. Não torne - se o que eles querem que você seja, seja o que quiser ser, como diz nossa musa Pitty, mesmo que seja estranho.

13/03/2016

Dona de casa pode tudo?



A cultura do casamento já nasce conosco, temos que aprender a lidar com isso, todos os dias desde sempre. A menina fica presa na casinha de boneca onde tem que fazer comidinha para as suas filhas bonecas, trocar a roupinha, o sapato, pentear e dar banho. Dentro da casinha tem ferro de passar, fogão e máquina de lavar, com esses objetos que ninguém gosta de ganhar de presente de aniversário, a menina de 3 anos pé ensinada a ser uma dona de casa exemplar, sem ao menos entender o que se passa, além de achar divertido por ser rotulado como brinquedo.
Isso tá certo? Não, não tá certo. Sabe por quê? Porquê os meninos ganham brinquedos de verdade mesmo, que depois que crescerem não vão exercer de forma real na sua vida, tipo a fórmula de báskara, que sempre perguntamos pra professora onde iremos usar aquilo na vida. Por exemplo: menino ganha um peão e um saco de bolitas, ele está ensaiando pra alguma coisa? Não, porque isso não vai servir pro futuro dele, apenas pro presente, pra infância, que onde ele tem que brincar e se divertir. 

 A menina está ensaiando para ter filhos, ser dona de casa e casar. Desde o primeiro instante que ganha a boneca, os pais ensinam a dizer que é sua filha, falam pra dar nome, trocar a roupa, dar comida, amamentar/dar mamadeira e dar banho. Te pergunto: Pra quê uma criança de 3 anos ou menos, precisa fazer tudo isso? Isso não faz parte de uma brincadeira. 

A parte direta do casamento é ensinada quando ela ganha a Barbie e o Ken: situação onde eles são namorados e dependendo tem o bebe deles. Nesse caso a criança já fica instigada, pensando, imaginando como que eles tiveram o bebe, no começo é pela barriga que elas imaginam, e depois com o decorrer das brincadeiras com as amiguinhas vem a abordagem do sexo. Não venham me dizer que não, porque é sim, já fui criança, já brinquei de Barbie e estou ligada. 

O menino coloca nome nas suas bolitas? Na bola de futebol? No peão? Acho que não. Ele ganha seus brinquedos apenas para se divertir, desde que nascem eles tem a cultura de que o homem "pode tudo", enquanto as mulheres só podem brincar de serem mães e donas de casa com seu número restrito de brinquedos para meninas.

Mesmo que brinquedo não tenha gênero, nada tenha gênero e todos possam usufruir desde sempre, há um limite que a sociedade impõe, por mais que os pais não queiram proibir a inversão dos papeis dos seus filhos a serem assumidos em fase adulta, ou seja, menina brincar com bolitas e menino de comidinha, eles não são fortes o suficiente para manter suas decisões e cedem, continuam reféns do sistema opressor. 

Finalizando: Não há motivos pra você treinar sua filha a ser uma dona de casa, casada e com filhos. Já pensou em dar outros brinquedos? A infância é pra ser curtida, sem obrigações desde cedo, cada fase existe para ser vivida no seu tempo, sem ultrapassar nada. Não chore depois. Reflita!

11/03/2016

3 lemas pra vida toda



Nos últimos tempos, aprendi muito a lidar com todas as situações desnecessárias que pessoas totalmente sem noção, inconvenientes me colocam sem eu pedir, sem eu fazer questão nenhuma de participar, e todas elas são surpresa, saias justas que não sei se tiro por baixo ou por cima. Por isso, desenvolvi lemas para levar pra vida toda, serve pra qualquer situação, afinal, quem é que nunca engoliu um sapinho? Que atire a primeira pedra.


  1. Não absorve, só abstrai.
  2. Independentemente da situação, sorria.
  3. Faça cara de paisagem e finja que não é contigo.
Aquele momento de estresse maroto, que uma pessoa que  tu nunca viu na vida, mais gorda ou mais magra, fala o que bem entende pra ti como se teu ouvido fosse penico.
Isso é legal? Não, não é legal.
Gostamos disso? Não, não gostamos disso.
Precisamos passar por isso? Então, caro jovem que está lendo essa postagem nesse exato momento, tem situações da vida que não temos como fugir, exemplo é aquele cliente que já entra no teu ambiente de trabalho com o espírito de porco, achando que tu tem culpa do dia ruim dele, sendo que você só está ali para fazer o seu trabalho, cumprir horário e ir pra casa assistir seus seriados na Netflix - isso mesmo é menina. 

Infelizmente não temos como fugir de pessoas escrotas, estamos cercadas por elas, se não abrem a boca para bostejar, nos olham de maneiras que nos constrangem, sinceramente, não sei o que ganham fazendo isso, é um caso para o Globo Repórter estudar, quem sabe na próxima sexta eles sejam pauta do programa, porque não tem como entender sem estudar mais a fundo. 

Falta educação? Falta sim, todos temos consciência disso, mas temos que fazer a nossa parte e honrar os valores e princípios que nos foram dados por nossas mamães. Não agir negativamente igual é o melhor que podemos fazer nessas situações. 

09/03/2016

Qual é o caminho? Me ensina.


Não consigo mais me encontrar e esse é o meu maior defeito hoje. Parei pra pensar e não tive um personagem infantil que adorasse tanto a ponto de ser o tema do meu aniversário de 5 anos, uma comida preferida, um jeito especial de dormir e várias outras manias que a maioria das pessoas tem. Ficar procurando livros pra comprar pela internet ou ler deitada, não vejo mais graça, não existe mais concentração. Sentar na beira da calçada com um monte de gente pra beber um vinho barato e bem geladinho, sinto falta, comecei a me perder depois que paramos de nos ver. 

Encontrei outros companheiros de bebida barata, acho que umas 3 vezes no máximo e o tempo os levou de novo, crescemos e cada um foi pra um lado diferente. Ir nas festas, dançar com pessoas desconhecidas, era tão divertido, queria que aqueles momentos durassem pra sempre, sempre, todos os dias, que aquela vibe permanecesse entre nós. Novamente, acabou, sofri e sobrevivi.

Agora me vejo aqui, escrevendo vários textos sobre coisas que não existem mais, que marcaram a minha vida (e muito!), ainda estou no passado, não consigo sair de lá, se dependesse de mim, viveria todos aqueles momentos em looping, porque foi tão maravilhoso e não consigo entender por completo como nos tornamos desconhecidos tão rápido e nem em qual momento aconteceu.

Sei que existem mais de 7 bilhões de pessoas, que isso acontece com um monte de gente também, não sou a primeira e muito menos a última, porém não consigo sair disso, apertei no botão repeat e ele quebrou, não estou sabendo lidar com tudo isso.

As pessoas me procuram quando precisam, falam tudo o que querem, na minha vez fico apenas com o vácuo, como se fosse apenas um divã, que tu deita, coloca pra fora tudo o que te incomoda, é aconselhado, abre a porta e vai embora como se nada tivesse acontecido. 

Aprendi que as pessoas começam os relacionamentos e não sabem administrar o resto, as prioridades mudam e te jogam pra escanteio, como se tivessem ganho a bola quadrada do Kiko. Me sinto o décimo terceiro emoji do Whatsapp, depois da atualização, voando no universo. Pode ser drama, é drama, gosto dos meus dramas, preciso aprender a descer do palco, você sabe qual é o caminho? Me ensina. 

08/03/2016

Sou mulher e quero respeito

Imagem: weheartit


Ser mulher é muito difícil, não estou falando sobre os quilos a mais, menstruação, menopausa e os hormônios que entram em erupção na adolescência, digo na hora de arrumar emprego e no cotidiano, tudo o que passamos pra poder conquistar nosso espaço, sermos valorizadas por quem somos e pelo o que fazemos, nossa capacidade como pessoa, esquecendo nossos seios e órgãos genitais.

Somos vistas o tempo todo como um pedaço de carne em uma vitrine, julgadas por causa da roupa, se temos filhos, se não temos, se vamos casar ou se não vamos, se gostamos de mulheres, por tudo e mais um pouco. Duvidam da nossa capacidade intelectual, do nosso potencial, nos desrespeitam, acham que podem falar o que bem entendem em qualquer lugar e temos que aceitar caladas, se respondermos com a mesma "sutileza" dirão que somos mau comidas, nos ignoram.

Em muitas dessas situações ficamos com medo de falar, porque fomos criadas para ouvir desaforos sem responder nada, ainda mais se for no ambiente de trabalho, onde temos que nos comportar por precisar daquele emprego, e nesse comportamento inclui aceitar quieta as besteiras que nos dizem sem pensar no que iremos sentir, achar e se nos interessa.

Quando você trabalha com outras mulheres, tem que saber lidar com as fofocas, elas surgem por todos os motivos, de todos os tipos e sem motivos, que depois tornam - se competições sem sentido, e dependendo, se não souber lidar com as colegas e com toda a situação imposta, pode perder o emprego. E também tem a inveja, por causa do cabelo, da unha, da roupa, do namorado, do carro, da casa, das férias, inveja até do que acham que você tem, mas não tem. Tudo é questão de adaptação e saber trabalhar em equipe para que não se crie inveja e nem fofoca, não são todas as pessoas que conseguem essa façanha com várias pitadas de paciência diária o tempo todo.

E quando os teus colegas são homens, teu chefe é homem e a maioria das pessoas que você atende também são homens? É ter que tirar uma paciência da onde não existe, escutar besteiras e desaforos, não ser respeitada, sofrer assédio o tempo todo, ver as tuas colegas que são mais femininas (com maquiagem, vestido, cabelo comprido) que na concepção masculina são mais atraentes.

O assédio é sentido, visto, ouvido todos os dias, o dia todo, chega a dar nojo da maneira como eles olham pra elas, falam bobagens, não falo apenas das colegas, falo de todas as mulheres que cruzam comigo diariamente e dos olhares de desejo que são lançados sobre elas, dos gritos, assovios, das mordidas nos cantos da boca e de como se lambem, o quão nojentos e repugnantes são. 

Não existe respeito e muito menos valorização. Nós temos sentimentos, além de formas, seios e órgão sexual, temos opinião, capacidade e competência para estar em todas as áreas da sociedade. Não temos culpa dos abusos, dos assédios, da falta de respeito, do homem que engravida a mulher e abandona o filho, do homem que abusa das próprias filhas, do chefe que grita com suas funcionárias, dos colegas que humilham, dos clientes que falam gracinhas.

Só queremos trabalhar e estudar, sem medo de ser seguida, de gritarem e assoviarem, de ser humilhada, assediada e humilhada de todas as maneiras possíveis, não somos obrigada a isso. Nesses 24 anos, de discriminação, assédios, abusos e racismo, aprendi que com educação podemos responder tudo e a todos, sem agir da mesma maneira escrota que fazem conosco, chega de engolir e aguentar tudo quieta, sem poder reclamar, porque as respostas sempre são as mesmas: "a culpa é tua", "tu pediu por isso", "talvez se tu não tivesse desse jeito não aconteceria", entre outras frases mais que sempre nos culpam por tudo. 

05/03/2016

Vida adulta: ajudar em casa

O desenho Urso sem curso define minha família, sou o Pardo.


Você sabe qual é o seu papel dentro de casa, realmente? 

Quando você nasce, sua mãe particiona a vida dela para poder cuidá - la devidamente, dar atenção, amor, carinho, conseguir passar os princípios e valores para que futuramente seja uma pessoa de bem, do bem, para o bem e não uma pessoa sem escrúpulos. Elas doam todo o seu tempo para nós, esquecem de si mesmas para que tudo corra bem nesse processo de criação e ensinamentos que é criar uma criança, um novo ser pequenino que desde pequeno aprende o que é amor e atenção, principalmente  a proteção: bolha plástica invisível, que não deixe que nada e nem ninguém te prejudique, atrapalhe e faça mau/mal. 

Na infância, tudo é bom e divertido, desenhos animados e dormir até o meio dia, sem entender das obrigações que a vida irá te apresentar com o passar dos anos, mesmo querendo ser adolescente e quando adolescente querer ser adulto, sem saber a barra que é amadurecer. Pronto cresceu, e junto as responsabilidades de ir trabalhar e estudar, não ter muito tempo pra nada e nem pra si mesmo.

Você fez o papel de filho criança, agora de trabalhador e estudante e são todos feitos com "perfeição" (sei que ninguém é cem por cento em tudo, mas a "perfeição" citada quer dizer, dar o melhor de si nas atividades propostas, sejam elas quais forem.)?

O teu papel não se resume a trabalhar o mês todo, estudar o suficiente pra tirar notas boas, vai além disso, quando você chega em casa no final do dia, dá atenção pra tua família? Escuta a tua mãe? Teu irmão? Conversa com teus amigos? Consegue administrar teu tempo pra todos ficarem satisfeitos?

"Ah Nati, mas ninguém faz isso comigo, por quê eu tenho que fazer isso por alguém?"
Cada um tem que fazer a sua parte, isso aprendemos em casa e vale pra vida toda. Sabe aquele trabalho em grupo que tu sabe que ninguém vai fazer ou vão fazer meia boca, que tu pensa em desistir, mas depende daquela nota? Então, motiva os coleguinhas a cada um fazer a sua parte que tudo vai dar certo. E em casa não é diferente. 

Tem que ser recíproco. Se quer atenção, tem que dar atenção também, como em qualquer relação, tem que ser mútuo, uma via de mão dupla. Não tem nada mais gostoso do que demonstrar o amor e carinho que sente por alguém, lhe dando atenção e vendo a satisfação do outro por ser ouvido.

Então a partir de hoje reveja seus conceitos sobre o que é ajudar em casa, não é apenas trabalhar o mês todo, dividir as contas pelo número de pessoas que mora junto com você, ou seja sua família, pagar e ponto final. É além disso, é prestar atenção neles, é doar - se e participar na solução do problema de cada um e no todo também. Todos ganharão com isso, faça o teste.

03/03/2016

É algo abstrato



[leia escutando Amor Intergalático]

Cruzo as ruas e fico te procurando em todos os olhares que passam por mim, em alguns consigo te encontrar, pura ilusão, passa um vento e me distraio, esqueço por alguns momentos que estava pensando em você. O cabelo é parecido e os traços, distraidamente acho que te encontrei, continua sendo miragem, tenho certeza de que nunca vou te encontrar, a não ser que seja nos meus sonhos, daqueles que tenho quando não preciso acordar cedo no outro dia. Caso te encontrasse, não seria mais igual, perderia totalmente o encanto, estragaria todas as minhas ilusões e principalmente o frio na barriga, ao imaginar o teu cabelo ao vento e meio sorriso quando te elogio. Confesso que é gostosinho sentir tudo isso, uma paixão por alguém que só existe em pensamento, pelo menos do jeito que é bom pra mim, porém não é legal quando falo contigo e sei que não vou ver nunca o teu sorriso. 

01/03/2016

6 Vídeos que você tem que ver | 4

Pra quem ainda não conhece a Evelyn Regly é uma Webmaster feat vlogueira feat blogueira maravilhosa e muito verdade que conheci há algum tempo, fiquei emocionada quando descobri que ela era dona do Evelyn's Place, um site que disponibilizava templates gratuitos, gifs e tutoriais pra galera que queria modificar seus blogs via HTML ou não. Era, sou apaixonada pelo site dela e hoje pelos vídeos e trabalhos que ela faz. Vamos ao vídeo - onde só vi verdades, que ela fez sobre as cobranças (chatas) da sociedade, todos nós sofremos por causa delas, independentemente da classe social e étnica. 


Cada babado é um "acorda pra vida" diferente, todo domingo tem um pra te chacoalhar, nesse ela cita as desculpas que damos pra nós mesmos, por causa de medinhos bobos que temos que aniquilar. Tá na hora de tomar uma atitude e sair das ciladas da vida.


A Fabiana fala sobre as velhas e batidas expectativas que criamos e que criam em relação à nossa vida, temos que fazer o que quisermos em todos os sentidos, sem ter que agradar a pessoa A, B ou C. Vale pra tudo mesmo, não adianta você agradar, o pai, a mãe e o namorado e não estar feliz com aquilo no qual irá fazer. Ela te ajuda a ter mais coragem. 


Vocês lembram da Biba do Castelo Rá - Tim - Bum? Pois então, ela cresceu, virou blogueira e vlogueira, além de continuar sendo atriz e está no seu segundo casamento. Nesse vídeo ela aborda a divisão de tarefas no cotidiano dela, mas que serve para muitas mulheres que se casam e que por causa da criação machista dela ou do seu parceiro acham que só elas devem fazer as tarefas domésticas e eles nada. Estamos em 2016 e as coisas não funcionam mais assim, se na sua casa ainda continua, repense e mude o sistema. 


A Porta dos Fundos nos mostra que nos dias atuais nossos melhores amigos nos conhecem mais do nossos namorados (as) e nos aceitam da maneira que somos, sem querer mudar nosso jeito, manias e gostos, isso sim é amor de verdade.


A nossa querida JoutJout sempre passando uma mensagem e reflexão diferente que todos nós ou a maioria se identifica, creio que dessa vez não vai ser diferente pra você, porque pra mim não foi. Temos que encarar a vida de adulto e de como ela vai nos conduzindo, afinal não temos muito controle das coisas.


Marcello Gugu é um MC paulista, que em todas as suas músicas só diz verdades sobre o cotidiano , amor, mulheres e a vida para o seu público. Navegando no Facebook vi esse vídeo, onde fala sobre o feminismo, o assunto mais falado de todos os tempos, uma causa onde todas jovens estão aderindo bem mais do que antes. Os homens são barrados de falar sobre por não saber como é ser mulher realmente, eles nunca foram oprimidos pra ter propriedade de opinar, mas o Gugu fez diferente, vale muito a pena escutar.


Tem algum vídeo que mudou a sua vida de alguma forma e que gostaria de compartilhar? Deixa o link ou o nome nos comentários que posto no próximo post.