31/03/2012

pedro bandeira - um

— Cinco! Todos nós temos cinco sentidos. Cinco! Sabe para que servem eles?
À medida que falava, fechava cada dedo sobre a palma da mão.
— O paladar serve para se regalar com o sabor das falsificações. O tato, para sentir as bofetadas: quando se dá e quando se toma. A audição é ótima para se ouvir mentiras. O olfato, para perceber o cheiro da podridão. A visão, perfeita para que se enxergue somente aquilo que querem que a gente enxergue. O resto está escondido!
O punho já se fechava, apertado.
— Há um sexto sentido, porém. Aquele que permite a alguns sentir, ouvir, cheirar, saborear, e enxergar a verdade escondida. Esse sentido eu tenho. Poucos conseguem dominá-lo, mas eu consigo. Não é uma sorte? Mas o que é a sorte? A sorte nunca vem de graça. A sorte exige pagamento. A sorte é uma puta!

Agora estou sozinha… - Pedro Bandeira

28/03/2012

dois - caio fernando abreu


Preciso muito que alguma coisa muito muito boa aconteça na minha vida. Alguma coisa, alguma pessoa. Acho que tenho medo de não conseguir deixar que o passado seja passado, de aceitar verdades pela metade, de viver de ilusão. Eu preciso muito, muito deixar acontecer o momento da renovação, trocar de pele, mudar de cor. Tenho sentido necessidades do novo, não importa o quê, mais que seja novo, nem que sejam os problemas. Preciso deixar a casa vazia para receber a nova mobília. Fazer a faxina da mente, da alma, do corpo e do coração. Demolir as ruínas e construir qualquer coisa nova, quem sabe um castelo.
Caio Fernando Abreu

26/03/2012

Meme: Conheça o Blogueiro

 

Ganhei o meme da nossa adorada Jeniffer Yara

1. Quando surgiu a ideia de criar seu blog?
Foi criado em 2008, entre 15 e 16 anos, depois de mais uma das muitas crises que já tive até hoje. Era uma época - e ainda continua sendo - na qual eu não tinha com quem falar, desabafar. Precisava muito expressar o que sentia, sem ser julgada. Então um amigo virtual sugeriu que eu criasse um blog, como uma espécie de diário virtual.

2. Origem do nome do blog
Chama-se assim, porque aqui é tudo meu, todos os meus sentimentos e modos de falar.

3. Você tem/teve outros blogs além desse?
Tive um, que se eu não me engano, se chamava Divã cor de rosa, ou algo assim... Era coletivo, só que as ideias foram sumindo e ele terminou.

4. Já pensou em desistir alguma vez do seu blog?
Muitas vezes, porque sempre me apeguei ao número de seguidores, comentários, visitas, ou seja, estatísticas. Fiz vários textos me despedindo, mas em menos de uma semana voltava, porque precisava desabafar, direta ou indiretamente, tudo o que estava sentindo naquele momento.

5. Mande uma mensagem para seus seguidores:
A única coisa que eu tenho a dizer é muito obrigada por continuarem me lendo, sem comentar ou com comentários. Eu só quero continuar escrevendo e lendo comentários de pessoas dizendo que identificaram-se muito com o meu texto, mesmo essa frase sendo muito clichê, vocês não sabem o bem que me faz. Enfim, obrigada aos velhos e sejam bem - vindos novos leitores.

Sobre o blogueiro

1 - Uma música: Todas (pode né?) da Adele e algumas da Amy Winehouse. 
2 - Um livro: O Alienista - Machado de Assis
3 - Um filme: As 10 coisas que eu odeio em você
4 - Um hobby: Dormir (iaso mesmo)
5 - Um medo: Solidão
6 - Uma mania: Enrolar fios de algodão
7 - Um sonho: Ser feliz, com ou sem dinheiro, sozinha ou não.
8 - Não consigo viver sem: Doce e internet.
9 - Tem coleção de alguma coisa? De sonhos. (pode ser?)
10 - Gostaria de fazer alguma outra pergunta para os próximos participantes? O que te faz feliz.
11 - (Pergunta da Jeniffer Yara) Um momento marcante da sua vida. 
Em 1999, quando eu tinha apenas 7 anos e minha avó materna faleceu, parte de mim também se foi.


Indico para todos que lerem.

23/03/2012

Irada

Sabe quando tu te indigna com tudo e com todas as pessoas que moram com você? Aí bate aquela raiva de quebrar tudo e bater em quem aparecer na tua frente. 

Sei que isso atrai negatividade, coisas ruins e todas aquelas coisas de pessoas supersticiosas, mas é necessário e involuntário. 



E se você morasse em uma casa onde tivesse que fazer tudo para si e mais 2 pessoas e não tivesse retorno ou colaboração alguma, como se sentiria? Sair 8 horas da manhã todos os dias para trabalhar até as 18 horas, fazer hora para entrar no colégio às 19 horas e chegar em casa às 23 horas, não é a tarefa mais fácil e nem a mais dificil, só que pensa comigo, chegar e ver a casa de pernas pro ar e ter que fazer tudo para depois poder tomar banho, comer e dormir. Sendo que tem 2 pessoas dentro de casa, que só ficam vendo televisão, comendo e na internet. Isso é abuso. Esse não é o maior dos problemas e nem o pior, mas não deixa de ser. 
ao som de Tired - Adele

22/03/2012

e eu sei que é amor

E eu não sei falar de amor, sem ser com dor, sem sofrimento.
Se não há sofrimento, não há amor.
Se não há amor, não há sofrimento.
Foi assim que me apresentaram o amor, se é que era amor.
Seja onde e com quem for, será, foi.

Sem palavras bonitas.
Sem declarações.

20/03/2012

com dor

E então você se vê perdida em um beco sem saída, aterrorizada com a onda gigante que está sobre você há anos, mas que com um impulso ou outro você sempre consegue colocar a cabeça pra fora para poder respirar e continuar a viver. Fazer durante tanto tempo a mesma coisa, cansa. Irrita, magoa, causa desistência até de existir.

O assunto se repete durante anos ou só por um ano, mas é sempre sofrimento, amor, depressão, rejeição dentro e fora de casa. Isso me cansa e com certeza deve cansar vocês também. Não posso evitar, preciso falar, não posso me calar.
sem imagem, sem doce, sem ilustração, sem mais ilusões.

16/03/2012

Exploda-se

Sabe quando tu quer parar de apertar o botão curtir e quer substituir pelo foda-se? Não venha dar uma de santa e dizer que não, que tu tá satisfeita com a tua vida, porque isso será a mais pura mentira, nós nunca estamos do jeito que queremos, nunca estamos satisfeitos, sempre queremos mais e mais. 

Tu passa anos engolindo coisas que nem entendia, mas hoje o jogo virou, tu entende e decifra todos os acontecimentos e quer fazer com que tudo isso que te indigna pare de ser do jeito que é, porém as coisas não dependem apenas de ti, tem mais pessoas envolvidas nisso e que não colaboram em nada e exigem que tu faça. Isso é justo? Claro que não. Só que se tu vai falar, tu é a errada da história, não sabe nada da vida e não faz mais que a tua obrigação, trabalhar, estudar e ter que fazer todas as atividades domésticas. Sendo que na humilde residência mora mais 2 pessoas além de mim. Chega de exploração dentro de casa e fora também. Isso pode ser um assunto banal, infantil, que seja, mas é meu. 



Estourando plástico bolha fiquei mais ansiosa que o normal, mais nervosa, mais estúpida, mais negativa. E de repente, dá vontade de jogar tudo pra cima, no chão, nas paredes,  gritar e sair correndo sem olhar para trás e reconstruir uma vida diferente da atual, começar do zero. 

E todos ao redor só me procuram quando querem desabafar e precisam de outras formas, desse jeito eu sirvo, pra parte difícil da vida, mas quando tá tudo muito bom, tudo muito bem, nem se lembram que um dia eu existi em suas vidas. CADÊ  a porra da gratidão e da porcaria da educação de vocês? 

Palavrões a parte, é isso o que eu sinto hoje, nesse exato momento. E não venham me julgar, se vierem aqui pra isso podem fechar a página, isso não vai doer nem um pouquinho. 

13/03/2012

Eu, Menosprezo e Professor

E então a pessoa só quer terminar seus estudos e precisa trabalhar ao mesmo tempo pra poder conseguir tudo o que almeja e tem tanto direito quanto os outros que fazem a mesma coisa. Não maltrata as pessoas, ouve e dá conselho pra todos, sem esperar nada em troca, pode até ser mau educada, abusada, retrucar os outros sem parar e achar que tem sempre razão mesmo sabendo que tem certeza que não. Independente de suas qualidades ou defeitos, bens materiais, sentimentos e suas atividades não merece ser julgada, ainda mais por quem ela não julga. O seu trabalho pode não ser o melhor do mundo, seus colegas podem não ser o mais educados e instruídos, mas são com eles que ela convive há mais de um ano, se entendem, se acostumaram e ficam mais tempo juntos do que com a própria família. 

Cada um tem uma vida diferente, faz escolhas diferentes e o resultado são consequências diferentes. Então não menospreze o trabalho alheio, dê valor a quem te dá valor, seja superior. Não deixe que façam e falem o que bem entender com você. Não nascemos para sofrer humilhações, ainda mais de pessoas que nunca vimos na vida e que não irão acrescentar em nada. Porque fazer julgamentos é fácil, quero ver tu fazer melhor.

Tumblr_lxzu5m5epc1r29v6io1_500_large 

Enquanto não colocarem ninguém pra baixo, ridicularizarem, humilharem, não ficarão satisfeitos o suficiente. Fazem isso na ilusão de se sentirem melhores que os outros, porém só pioram como pessoas. Pare de levar desaforos para casa, não precisa descer o nível, responda educadamente as provocações e sambe na cara dessa gente mal amada, que não sabe viver e insatisfeitas com tudo o que tem.

Um professor de filosofia, ética e sociologia que queria dar a sua aula numa noite quente de segunda-feira. Com um sotaque bem rústico, que ninguém consegue decifrar de onde é, usando tênis, camiseta e bermuda, já grisalho, cansado e arrependido de ter atendido ao pedido da diretora de dar aula para a única turma de 3º ano noturna com 14 alunos, mas apenas 12 frequentam. Entrou, reconheceu alunos do ano passado, apresentou-se para os novos e começou a aula. Tudo o que ele dizia não era tão ruim assim, apesar de repetir várias vezes a palavra "gente", porém para quem trabalha o dia inteiro, a aula deveria ser mais objetiva, sem muita "encheção de morcilha"*, mas ele começou a falar coisas sem e com todo o sentido. Deu vontade de dormir em todos que estavam presentes, inclusive em mim, mas não podíamos fazer isso, o professor não se calou em nenhum momento durante todos os 50 minutos em que esteve dentro daquela sala quente e cheia de mosquitos. Ele disse que para tudo o que iremos fazer e ir, temos que traçar objetivos, metas e não fazer por fazer e nem ir por ir, tem que valer a pena. 

1 dos motivos pelo qual não paro de escrever


Depois de 5 dias sem postar nada e 9 dias sem ser da minha autoria, voltei. Talvez eu volte daqui 5 dias ou amanhã, só o nível de cansaço e o tempo podem responder isso. Obrigada por lerem, seus comentários e não comentários. 

 

08/03/2012

três - tati bernardi

Agora eu tô te amando quietinha, sem mandar cartas, sem discar o seu número, sem passar em frente a sua casa. Afinal do que adianta gritar pra meio mundo ouvir o quanto nós temos que ficar juntos, se você não é capaz de mover um dedo pra que isso seja possível? De quê adianta eu dá píti quando mais uma menina idiota vem pedir seu telefone, recusando todas as suas circunstâncias (que só eu sou obrigada a lembrar), se você não dá um passo em minha direção pra que elas vejam pra onde o seu destino aponta? De quê adianta ter toda a certeza do mundo de que eu sou a mulher da sua vida, se eu não faço parte da sua vida?! 


Tati Bernardi

06/03/2012

dois - tati bernardi

Amo de todas as maneiras possíveis. Sem pressa, como se só saber que você existe já me bastasse. Sem peito, como se só existisse você no mundo e eu pudesse morrer sem o seu ar. Sem idade, porque a mesma vontade que eu tenho de te comer no banheiro, eu tenho de passear de mãos dadas com você empurrando nossos bisnetos. E por fim te amo até sem amor, como se isso tudo fosse tão grande, tão grande, tão absurdo, que quase não é. Eu te amo de um jeito tão impossível que é como se eu nem te amasse. (…) Outro dia me peguei pensando que entre dobrar aquela esquininha da sua rua e ganhar na mega-sena acumulada, eu preferia a esquininha.
Tati Bernardi 

04/03/2012

Não dói mais, mas dá saudade

Quando você tem que aprender a gostar de alguém e quando aprende se arrepende de não ter gostado antes de tão maravilhosa que a pessoa é. E por mim, eu te faria companhia todos os dias, desde a hora de acordar até a de dormir. Ficaria com você na tristeza e na alegria já estou. E por você eu faria mais do que escrever, mais do que dizer, lhe faria sentir tudo o que sinto por você, não sei se seria do mesmo jeito, seria apenas, do meu jeito transformado pro teu jeito, um jeito nosso. 



Sem citar nomes, sem nem precisar existir um verdadeiro protagonista parar ser o do meu texto. 
Apenas imaginar. Apenas dizer, sentir e escrever o que um dia foi sentido por uma pessoa de 1 dia e a de mais de 365 dias. São coisas que acontecem, com você, comigo, conosco. Não temos como fugir.

03/03/2012

seis




.
Antes dele fazer qualquer piadinha ou comentário, ela se virou e entrou. Enquanto isso, sua consciência e sua emoção dialogavam dentro de sua mente: 'quando será que ele vai ligar?' 'se é que ele vai ligar, né?', para colocar fim naquela conversa ela abriu a porta e e correu para o banheiro, precisava de um banho.
Mesmo acreditando na ousadia dela, ele resolveu conferir e procurar o número dela. Pesquisou por 'Dora' e não encontrou nada, por alguns minutos perdeu a esperança e chegou até imaginar que ela havia mentido para ele. 
A água morna caia pelo seu corpo e ela repassava repetidamente as cenas daquela tarde insólita por sua mente. Aproveitou que estava sozinha e colocou a banheira para encher, não tinha a menor pressa de sair do banheiro.
Ele por sua vez jogou o celular no banco do carona e seguiu rumo. O som da gargalhada dela não saia da sua cabeça, então ele resolveu ligar o som no máximo!
Entre espumas e patinhos de borracha, ela se divertia no banho. Criando diálogos e evitando as expectativas.
E lá estava ele, com o carro estacionado e o celular na mão. Foi quando finalmente a sua ficha caiu.
Suas mãos e seus pés pareciam pertencer a uma mulher de 101 anos, então ela se enrolou na toalha e foi para o quarto. Antes de procurar uma roupa, ela foi procurar pelo celular e quando o encontrou, sorriu.


Read more: Quaresma

02/03/2012

cinco




.
Dizem que quando a coisa é boa, a gente não percebe a correria dos ponteiros pelo relógio. Foi exatamente o que aconteceu com eles naquela tarde. 
- Eu nunca tomei tanto suco na vida!
- Aconselho a senhorita a dormir de fraldas hoje.
- É o que você faz?
- Às vezes.
Entre sucos e risos, eles foram se conhecendo. Ela descobriu que ele era filho único e três anos mais velho. Já ele percebeu que ela sempre batia nos joelhos ao sorrir e mordia o canto dos lábios quando ficava em silêncio.
- Você sempre sai com estranhos?
- Você sempre convida estranhas pra sair?
- Só as que eu encontro descalças pelos elevadores.
- Sei ... sei.
- Acho que a senhorita bebeu demais, vamos pra casa?
- Só mais um e nós podemos ir.
A verdade é que ela acabou tomando mais quatro sucos, faltou pouco pra ela experimentar todos os sucos do cardápio. Enquanto ela foi no banheiro - pela nona vez - ele foi pagar a conta.
Enquanto ela fechava a porta do carro, ele não se aguentou e perguntou:
- Não vai me passar seu número?
- Ele já tá salvo no seu celular.


Read more: Quaresma

01/03/2012

quatro




.
Mil coisas se passaram na cabeça dela. Ela não sabia o que responder, porque pensava não saber do que ele estava falando. 
- Andou pesquisando a minha vida na internet?
Soltou um sorrisinho, porque não queria nenhum clima ruim.
- Quase. A verdade é que eu ouvi sua mãe gritar seu nome completo, segundos antes de você entrar no elevador.
Ele também riu, porque não queria deixá-la constrangida.
- Touché. Vinhemos aqui pra beber ou pra conversar?
- Podemos fazer os dois, se você não se importar.
- Você vem sempre aqui?
- Só todos os dias.
- Alguma dica?
- Você seria capaz de confiar em um estranho?
- Surpreenda-me!
Uma piscadela e a garçonete já estava de prontidão para anotar os pedidos. 
- Pronto, agora a gente pode conversar?


Read more: Quaresma