Um pouco sobre as minhas crises de ansiedade

Um pouco sobre as minhas crises de ansiedade

Todo mundo precisa entender e praticar isso.
Era 2008 e eu tinha apenas 15 anos, estava no primeiro ano do ensino médio e a única coisa que eu queria saber era da minha rotina fora de casa com os amigos que eu tinha conquistado no colégio. Não queria saber das coisas de dentro de casa. Não queria toda aquela responsabilidade que tinham me dado desde os 9 anos, com horários, cobranças e pressão por zelar pela educação e saúde de uma criança que não era minha, que não tinha parido.

Não entendia nada daquilo que acontecia comigo, o porquê de tudo aquilo, só queria me livrar, ser livre exclusivamente. Poder ter meu espaço, com as minhas coisas, do meu jeito e sem ter que cuidar de mim além de mim mesma. Demorei muito tempo pra entender o que eu quero e precisava de verdade.

Até o início do ano passado vivia por viver, se morresse agora tanto faz, não sabia que poderia ter prazer por estar viva e muito menos que valia a pena continuar viva, até que conheci uma pessoa e aconteceram diversos fatores que me fizeram entender de que aqui não é o meu lugar, aqui não é um espaço bom pra mim e que sim, posso sair. Tenho que sair!

Todos os sintomas que venho sentindo há uns 3 anos, são por causa de sentimentos que estou sentindo há mais de 10 anos e que não conseguia enxergar, não distinguia entender de onde tudo tinha se desencadeado, até que comecei a analisar todos os fatos, reler os textos que já tinha escrito aqui e concluí que todos os sintomas são fruto do que já vivi no passado e ainda vivo hoje sem querer viver.

Não estou culpando ninguém, não estou apontando culpados. Estou apenas relatando todos os meus acontecimentos, sentimentos e pensamentos como venho fazendo isso há anos aqui nesse espaço. Não adianta eu querer mudar o seguimento do blog pra agradar a massa se não irei sentir o mesmo prazer escrevendo que nem sempre senti.

Na última crise de ansiedade, tomei vergonha na cara e fui buscar tratamento, agora medicada, ainda sinto várias coisas, mas acredito que a combinação dos remédios e começando a fazer o que eu sinto vontade realmente de fazer vai me ajudar e muito a sair dessa situação que é incontrolável. Que uma hora estou bem e em outra nem tanto. Que nem agora por exemplo. 

Nesse momento a única coisa que eu preciso é de tranquilidade, paz e fazer apenas e simplesmente o que sinto vontade de fazer realmente, sem influencia de um e de outro ou fazer porquê é para o bem de alguém e esse alguém não seja eu mesma. 

Uma das coisas que eu aprendi com todos os fatos dos últimos 19 anos e principalmente nos últimos 365 dias é a cuidar apenas e exclusivamente de mim mesma, por dentro e por fora, mente, corpo e alma, porque ninguém vai fazer isso por mim. 

Gosto de relatar as minhas vivências aqui, porque eu sei que por mais que não tenha comentários, muitas pessoas me acompanham e se identificam com o que eu falo, pensamentos e atitudes. Então, nada mais justo do que continuar com a minha missão de ajudar as pessoas com a minha escrita.

---

Se você gostou: 
Deixe seu comentário e compartilhe com quem você gosta.

Me siga nas redes sociais: 
QUERO LER O POST COMPLETO

Nove de Janeiro

Nove de Janeiro

Nove de Janeiro

Nono dia do primeiro mês de 2019 e eu tô aqui de cara lavada, em paz comigo mesmo, começando um tratamento e sendo eu mesma como era há uns anos atrás sem querer e nem precisar agradar ninguém. Agradeço todos os dias por isso, de verdade. 

Nem sei mais quanto tempo fazia que eu não escrevia algo vindo do coração como sempre foi desde a criação desse espaço que no começo se chamava meumundoseutb.blogspot.com, isso mesmo, desse jeito, com um banner bagunçado feito no paint, foi assim que criei a essência do porquê e do pra quê deveria escrever cada linha.

Tá um pouco bagunçado, mas acho que todo inicio de ano ou todo primeiro texto de cada ano ficou assim ou não também. Acho que perdi o fio da meada, a linha, como escrever o primeiro parágrafo de cada texto e o que falar realmente. 

Aos poucos depois de todo esse tempo vou voltar a escrever como escrevia antes, com o coração. Traduzir os sentimentos em palavras que nem no inicio. Com o tempo vou pegando jeito de novo. Sem pressão, sem cobrança e tudo assim meio confuso como sempre foi. 
QUERO LER O POST COMPLETO