é isso o que acontece

20:30


Perdida em um caminho desconhecido tentando encontrar alguém ou apenas me encontrar. O desespero bate toda vez que vejo uma saída, mas quando passo por ela me perco mais ainda. Parece que estou sozinha no meio daquele labirinto, naquela redoma de plantas que não me deixam sair. Mas são apenas aparências, pois ouço vozes, gargalhadas, nunca tristeza. Tento segui-las, em vão, pois elas se afastam a cada vez que chego mais perto delas. Cansei de procurar a saída. Não posso ficar aqui parada para sempre, a saída não vai aparecer do nada, tenho que continuar a procurar. Não posso desistir de tudo sem tentar mais uma vez. Mesmo que eu não consiga novamente, persistirei até encontrar e ser feliz fora dessa redoma que caí e me colocaram. Não tá sendo muito fácil pra mim me deslindar de todo esse emaranhado. Quando penso que to saindo, to a recem na metade da metade do trajeto. Grito por socorro todos os dias, talvez os donos de todas essas gargalhadas me ouçam, mas infelizmente continuam a rir. Sinceramente, acho que eles não sabem que eu existo e amanhã continuaram a não saber. É doloroso, mas o que posso fazer? Já fiz tudo o que estava ao meu alcance. Muito dos que estão a rir, aqui perto de mim, tirei de redomas, nesse momento sim sabiam da minha existência. Hoje nem lembram mais. Sofri por isso também, hoje não faz mais diferença pra mim. Agora tenho a certeza de que continuarei aqui no mesmo lugar, e os gargalhantes nem irão procurar por mim, não irão ficar em silêncio um instante para ouvir meus gritos de socorro, tristeza e dor. Antes quando nos víamos, o meu semblante não dizia o que eu estava sentindo, minha boca não gritavam, dos meus olhos não saiam lágrimas, não na frente deles, apenas sorria, mas feliz não era, não sou. Porém, eles pensavam, pensam que sou feliz. Quem sabe seja por isso que eles não sentem a minha falta, não ficam em silêncio para me ouvir. A verdade é: para eles eu nunca existi, não sabem o que eu sinto, não sabem o que passei, só sabem que quando quiserem eu ajudarei.

You Might Also Like

14 Comentários

  1. Nossa, eu espero que seja fictício, mesmo!
    A pior coisa é ter 'gargalhantes' ao nosso redor que se fazem de surdos aos nossos gritos de socorro!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. esse texto ficou lindo, profundo e direto alem de estar muito bem escrito.
    parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  3. acho que muitas vezes, andamos perdidos.
    mas é, aquela velha historia, né, que acontece com muitos de nós.
    Agente ajuda, um amigo quando ele precisa de nós,mas quando agente precisa deles ? simplesmente desaparecem né.
    e, isso muitas vezes acaba nós deixando bastante abalada, né, mas quem nunca passou por isso, ou algo do tipo.

    ResponderExcluir
  4. Você tá se sentindo excluída, acertei? Você pensava acreditar em algumas pessoas que nem lhe dão ouvidos, isso é uma coisa muito chata! Ainda mais quando você acreditou MUITO que eles fossem capaz de te ajudar e de te aconselhar nos seus momentos de fraqueza. Mas não tente 'procurar saídas', não. Encare o problema de frente. Faça com que eles percebam que foram altamente estúpidos ao acreditarem que podiam ter feito o que fez com você. Você é diva e sabe muito bem disso.

    Um beijo :*

    ResponderExcluir
  5. Natália, uma coisa que eu entendi esses dias.
    A vida pode ser essa merda que a gente vê, mas não é só isso. Há pessoas que são tão sensíveis e boas quanto nós, que sentimos essa mesma vida na pele, que nos ferimos e pensamos que nada vale a pena. Por mais que parte dessa vida seja podre e sem sentido, por mais que algumas pessoas sejam tão futéis e insensíveis, a vida faz sentido mesmo que não seja um sentido entendido por nós; talvez porque nós não precisemos entender nada. A gente só precisa viver de um modo mais confiante, driblando essa podridão do mundo e olhando pra frente. O que não valer a pena ser lembrado, o que doer, a gente evita lembrar. Não vale a pena remoer mágoas passadas, dores antigas. É preciso lembrar do que faz nosso coração pulsar melhor, pulsar com alegria.
    O passado, já passou... Tá morto pra você, tu perdeste a autonomia sobre ele. Agora é olhar pra frente e tentar fazer a sua vida ter cor e brilho.

    Se livre dessas amarras e cante, porque a vida é mesmo bonita, basta que você a faça assim.

    Desculpa pelo comentário gigante, mas eu precisava te dizer tais coisas.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  6. Nossa, espero que não seja auto-biografio!
    Que triste, é muito ruim quando as pessoas não nos " notam" so querer saber da gente para ajuda-las e não estão nem ai pros nossos sentimentos e problemas!
    Tente se erguer! Levantar a cabeça!

    Beijos flor

    ResponderExcluir
  7. Comentando de novo: ah, que fofa, você, Nati! Muito obrigado por levantar minha moral lá no blog, fico muito agradecido mesmo!

    Um beijo :*

    ResponderExcluir
  8. Espero que não seja real esse texto, mas se for, deixe de ajudar quem não merece, e ajude a si mesma!

    ResponderExcluir
  9. isso me fez lembrar da frase que eu ouvi num trailer de filme: quando você tiver voado o mais longe, ainda estará na metade do caminho ;)'
    o importante é não desanimar.!

    beijas, nati :*

    ResponderExcluir
  10. É lindo e um tanto triste este texto. Também já me senti assim. Mas tudo passa, é questão de tempo, e conforme ele vai passando, nós vamos aprendendo a selecionar o que é bom pra nossa vida!
    e como diz a nova musica da sandy (nao sei se você gosta, mas...) "E todo o medo, o desespero e alegria. E a tempestade, a falsidade, e a calmaria. E os teus espinho e o frio que eu sinto... ISSO VAI PASSAR, TAMBÉM!"
    não desista!
    ;*

    ResponderExcluir
  11. Profundo isso. o que pesa é que cada texto tem o seu V de verdade.

    ResponderExcluir
  12. Não pensa que você é a excluida, cara! Isso é muito ruim... Vai passar! Levante a cabeça, eu sei no fundo, você é forte!

    ResponderExcluir
  13. Não consigo decifrar o que há por de trás deste texto.
    Só que a situação me parece ão triste, chega a ser melancolico.
    Vc se sente assim Naty?

    ResponderExcluir

Me diz o que você achou, o seu comentário é muito importante pra mim.
Obrigada!