cabelo crespo

Meu cabelo, minhas regras

janeiro 21, 2016

5 anos
Nunca gostei de me pentear, desde que me entendo por gente, quando eu tinha uns 3 anos. Minha mãe me disse quando falava em cortar cabelo, eu dizia: "- cabelo curto, mamãe.", sinceramente não lembro dessa parte, mas se mamãe disse, vamos acreditar. Não era muito fã de penteados, mas ficava bem bonita com as chiquinhas que minha vó fazia, ficava parecendo um ursinho. Durava pouco tempo cabelo grande, como é até hoje.

Desde os meus 10 anos corto meu cabelo sozinha em casa, lavar, passar creme, desembaraçar, prender ele de qualquer jeito e sair passando a tesoura escolar mesmo, sem culpa nenhuma. Nem sabia que pra cortar cabelo crespo tem que ser com ele seco, porque ele diminui de tamanho por ser enrolado, então se você cortar ele molhado vai ficar menor do que tu quer que fique, e de preferência usar uma tesoura profissional ou semi pra não danificar teus fios. Todas essas técnicas não importavam naqueles momentos: eu, espelho, tesoura e cabelo. Só queria sentir a sensação de liberdade que dá e a felicidade de ter ficado do jeito que eu queria, mesmo ficando um lado maior que o outro e todo errado.

2, 4 e 6 anos


Todos achavam que eu não deveria cortar o cabelo, porque ele é crespo e demora pra crescer, o meu não demora tanto assim, em 1 ano ele dobra de tamanho, não entendo muito sobre como, quando, quanto cabelos crescem, por mim não precisam crescer tão rápido.
Encontrar alguém que corte cabelo crespo sem medo é bem difícil, por não querer alisar e medo de pagar pra que cortem errado cortava sozinha, ficava errado gratuitamente.

Ele vai crescendo e eu fico achando que ele tá errado, que tem uma ponta aqui, uma ponta ali e vou passando a tesoura um pouquinho todos os dias, alegria define o passar da tesoura nas mechas. Em 2015, estourou os cabelos coloridos, sempre achei o máximo, porém meu cabelo estava com uma tinta preta, tive que descolorir os cabelos pra poder aplicar a tinta fantasia roxa. Primeiro passei a tinta fantasia sem descolorir, pegou, mas foi saindo rápido, até demais pro meu gosto. Tive que retocar, dessa vez descolori, usei: 2 pacotes de pós descolorante Yamá e 2 embalagens de tonalizante ulktra violet da Keraton, e onde eu fiz tudo isso? Em casa mesmo, palmas pra mim.



É isso mesmo o que tu tá pensando, caguei no cabelo, a tinta fantasia saiu rapidinho, fiquei com o cabelo parecendo um arco íris por ter descolorido, mas pelo menos fiz o que eu queria e estava satisfeita com a cor. Óbvio que ouvi críticas negativas, mas o cabelo de quem é? Meu, então ninguém tem o direito de chegar e dizer o que bem entende, ainda mais se não tem intimidade pra isso.
Passei uma tinta por cima e voltei com a cor que estava antes, um preto meio castanho, não era roxo e tava bom, fiz pra experimentar, passou o encanto e perdeu a graça.



Estava louca pra cortar o cabelo, mas em função do serviço não podia, até que me revoltei e cortei, seja o que Deus quiser. Não cortei em casa, não tenho mais coragem e nem tenho a mínima ideia de como começar a cortar, perdi a prática, fiquei com medo mesmo e fui num profissional cortar. A expectativa é uma e a realidade é outra, não podemos nos iludir com as fotos dos cortes maravilhosos que tem no Pinterest e pela internet afora, porque: nosso cabelo é diferente do da modelo, acho que isso é o principal e o jeito que fica no salão após o corte, não vai ficar em casa, pensa bem antes de escolher.

Não sei o que aconteceu na primeira foto, não usei filtro e ficou assim.

Gostei do resultado, porém ele foi crescendo e eu fiz o que? Isso mesmo, fui cortando com aquela mesma tesoura de 13 anos atrás, pra ir ficando do jeito que quero, espero e venero. Cresceu de novo, em um mês e meio quase, vou ter que cortar de novo, ajeitar o corte na verdade e seguir o baile da tesoura nas pontinhas que não estão onde quero que estejam.

Pensei duas vezes antes falar do vídeo que eu fiz indignada depois que me disseram que não gostaram e mimi, mas acho que vocês tem que ver essa parte. No vídeo eu já tinha dormido, foi no dia após o corte. 


E aí, o que você prefere: curto ou comprido?  

You Might Also Like

5 Comentários

  1. Adorei o post e o vídeo e está certa viu, tem que fazer o que quer, o cabelo é seu e a única dona dele é você. as pessoas sempre vão opinar, as vezes positivamente ou negativamente, tem gente que não tem noção das coisas e se mete tanto na vida alheia..Enfim, é complicado, mas o importante é fazer e ser o que você quer. ^-^

    Beijos
    www.conversandocomalua.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, temos que ser feliz da nossa maneira, afinal não interferimos na vida de ninguém. Beijo

      Excluir
  2. Hahahahah Você é demais!
    Sempre tem uma louça pra lavar, um quartinho para arrumar, mas as pessoas insistem em cuidar da nossa vida!

    Enfim, eu acho legal esse lance de cabelo, eu fui adaptando meu corte e hoje fico bem feliz quando vou ao cabeleireiro cortar como eu gosto. Hoje gato 40 reais com o corte, pra muitos é um absurdo, mas é uma das poucas coisas que posso gastar comigo em me SATISFAZER.

    Morro de vontade de fazer algumas mudanças mas tenho medo também que fique ruim. Tenho vontade de platinar (UAU) mas por enquanto na minha - entediante - profissão ainda não posso, sem falar da questão: Família não deixa e eu não quero ser expulso de casa, rs.

    Como tudo nessa vida (a tatuagem que quero fazer também) dependerá da minha liberdade financeira, resumindo: quando eu me auto sustentar realmente eu terei minha liberdade!

    Beijos, adorei o post e achei suas fotos tão FOFAS!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, as pessoas tem tanta coisa pra fazer que deixam de fazer pra cuidar da nossa vida e isso é um saco.
      Sou bem desapegada com esses lances de cabelo grande e que não vai crescer e blablabla... Nem sempre tem verba e por isso faço em casa mesmo, e seja o que Deus quiser.

      Trabalhamos tanto, aturamos tantas pessoas, engolimos muitos sapos e temos que fazer algo pra nós, que fiquemos felizes mesmo que seja pouco tempo, temos direito disso.

      Fiz minha primeira tatuagem com 18 anos e minha mãe apavorada, como assim, pq, pra quê, onde e quando. Não pedi permissão, apenas avisei que ia fazer, fiz e fiquei feliz com isso.
      Nesses 23 anos de vida aprendi que tenho que me impor pra me darem valor e aceitarem minhas decisões. Se tu colabora em casa, eles não tem direito de te expulsarem, chega chegando e mostra que teu corpo, tuas regras e seja feliz.

      Obrigada, lindo.
      Paz e amor.
      Beijos de luz.

      Excluir
    2. Fiquei pensando no que vc disse sobre se impor!

      Eu tenho dificuldade de me impor, e nunca tinha reparado nisso! Sei lá, estou sempre pensando que posso piorar as situações, pq você não sabe como eles podem ser chatos! rssss

      Quero praticar esse lance de se impor, vou fazendo aos poucos. Você tem algumas dicas para mim? haha

      Enfim, eu acho que tenho mania de "big-picturalizar" as coisas, talvez eu seja menos dependente deles como eu acho que sou!

      Refletirei sobre isso!

      Obrigado!

      Excluir

Me diz o que você achou, o seu comentário é muito importante pra mim.
Obrigada!