amigos

Irmão mais velho

dezembro 19, 2015


Quando você escolhe ter dois filhos ou na hora que Deus te dá dois filhos sem você escoler ser naquele momento, você tem que saber lidar com todas as mudanças que terá na sua vida. Existia uma criança antes da segunda, ela não pediu pra nascer, nem a primeira e muito menos a segunda pra falar a verdade, ninguém pede. 

O primeiro quer carinho, atenção, beijos, abraços, palavras de amor; apoio e conselhos, fora os materiais: roupas, calçados, brinquedos e um lar quentinho pra dormir e ficar em segurança. O sentimental e psicológico é mil vezes mais importante que o material, muitas vezes tu pode ter tudo que o dinheiro pode comprar, mas se não tem carinho, amor e atenção, de nada vale. 

Não adianta suprir a ausência e a carência com presentes ou com violência por não ter paciência de ser uma mãe de verdade. Todos nós sabemos que ter um filho é padecer no paraíso, assim como diz o ditado. Criar e educar para tornar - se uma pessoa do bem, sem traumas, com princípios e valores que ele levará pra vida toda. 

Desde a barriga tem que receber carinho para sentir que é amado, atenção pra todos movimentos. Eles nascem e são como massinhas de modelar, ensinamos tudo, por isso somos exemplos, tudo que fizermos eles irão reproduzir com a leitura deles.

Esse é o nosso irmão mais velho, até que um dia chega o mais novo, do nada. Ter um irmão é maravilhoso, aprendemos o tempo todo, nos preocupamos, amamos incondicionalmente uma pessoinha que nem conhecemos ainda, dependendo da criação isso tudo acontece, pelo menos na maioria das famílias tem reciprocidade entre os irmãos. 

Com a chegada do nosso maninho, todos achamos que perdemos tudo, atenção, mãe, colo, abraço, mas na verdade ele precisa mais dela do que nós, ainda é uma massinha com zero por cento de aprendizado. Somos deixados de lado? Sim, somos. Temos ciúmes? Sim, temos. O que podemos fazer pra melhorar isso? Nada, infelizmente. 

Nossas mães sempre dizem que dão a mesma criação pra todos os filhos, mas isso não acontece, sabemos disso, ela acerta com os mais novos as coisas que errou com os mais velhos, são coisas inevitáveis. 

A única coisa que não pode acontecer mesmo é o irmão mais velho ser esquecido na ventania da vida e com o passar dos anos, continuar dando atenção, carinho, amor, mantém a estrutura psicológica dele intacta, fazendo com que ele não regrida de diversas maneiras. Você sabe do que estou falando!

You Might Also Like

7 Comentários

  1. Amor é muito mais importante que qualquer outra coisa e realmente tem pais que quando nasce mais um filho acaba esquecendo de outro, é complicado demais isso. :/

    Beijos
    www.conversandocomalua.com

    ResponderExcluir
  2. Não entendi muito bem , confesso. Tenho um irmão mais novo, nos damos super bem, mas vejo que sou mais mimado do que ele, apesar de sermos de mundos opostos, talvez essa seja a maior diferença entre nós.

    ResponderExcluir
  3. Oi Nati,
    Sei bem o que está falando pois sou a irmã mais velha. Morri de ciúmes quando meu irmão mais novo nasceu.
    Estou com problemas no computador por isso não tenho atualizado o blog como deveria. Assim que resolver o problema voltarei a postar como antigamente.
    Aproveito para desejar um Feliz Natal pra vc e sua família e um 2016 com muita saúde, bençãos e felicidades.
    Big Beijos
    Lulu
    www.luluonthesky.com.br

    ResponderExcluir
  4. Tenho um irmão mais velho e digo que ao mesmo tempo que é maravilhoso, é bem chato. Nós nos damos super bem, ele é bem parceiro, inteligente (me dá uma força nos trabalhos de casa) e altruísta.
    Acho que não vou ter a oportunidade de ter outro irmão ou irmã, o que eu agradeço muito, porque não me vejo tendo a mesma responsabilidade que meu irmão teve comigo. Sou sim sensata, mas tô numa idade que quero saber mais de mim, das minhas próprias coisas. Parece individualista, mas todos nós temos uma fase de descobrimento, certo?
    Beijo,
    paraisodemenina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Nati, super me vi no seu texto! Sou irmã mais velha e tive que aprender desde novinha a dividir todo o amor que antes era só dedicado a mim. No começo é difícil aceitar, a gente não quer isso, mas aos poucos vamos amando e entendendo toda a situação. Hoje vejo que minha criação e a da minha irmã são sim muito diferentes, mas o amor que eu e ela recebemos é o mesmo. Sou muito grata por ter a pequenininha (que hoje nem é tão pequena assim) na minha vida. Odiaria ser filha única! hahaha

    Beijo! ♥ Primeiro Livro

    ResponderExcluir
  6. Eu tenho uma única irmã e ela é mais velha, mas não fomos criadas juntas, ela sempre morou com a minha avó e casou nova, então não tem problemas. rs

    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Eu tenho irmã mais velha e mais nova.. E assim, tbm tinha mais ou menos esse pensamento.. Até que quando me tornei mãe (só de uma) pude perceber que não há amor maior ou menor. Nem mais nem menos quando se trata de filhos.. Cada um tem seu momento, e eu falo isso pq tenho uma sobrinha de 1 ano e meio e minha filha tem 2 meses, mas eu não consigo escolher entre as duas pq amor não se mede, com certeza um segundo filho seria mesma coisa... Não da pra nós mães dividir e deixar um lado mais e outro menos.. Só aumenta. Agora na visão do filho isso acontece pq cada criança ou adolescente tem diversas fases especiais e ela quer atenção exclusiva. Mas amor é amor, não parte em fatias pra dividir.. É impossível fazer isso com o amor. E aliás, gostei tanto do assunto que em breve vvou fazer uma postagem sobre isso!!! Beijinhos!!!

    ResponderExcluir

Me diz o que você achou, o seu comentário é muito importante pra mim.
Obrigada!