amor

Oito meses do acordar pra vida

dezembro 26, 2015



Leia escutando ANA - ESCOPO | SONZÊRA

Apostei todas as minhas fichas em você, mesmo quando perdia elas, apostava o que tinha e o que não tinha achando que dessa vez daria certo, você disse tantas vezes que daria certo, acreditei em ti, em tudo, todos os dias de todos aqueles anos. Sacrifiquei - me, era tudo tão abusivo, mas fui de cabeça, de corpo inteiro, me joguei, era com medo, não importava, apenas ia, fui tanto que perdi as fichas, parei de apostar e só tinha tombos e mais tombos no caminho todo.  

Sabe quando você idealiza e quer tantas coisas com aquela pessoa que fica cega a ponto de ter certeza de que tudo vai acontecer como planejado, mesmo que a vida te mostre, as pessoas te falem, os atos não aconteçam como tem que ser para que tudo aconteça? Foi assim, do inicio ao fim. Não era tão bom, não era tão ruim, demorou pra chegar ao fim, ele já estava presente demoramos pra perceber e aceitar isso. 

Era sete de abril de dois mil e catorze, o começo do fim. Como tudo sempre partiu de mim, dessa vez não foi diferente, te olhar nos olhos naquele dia não era o que eu mais queria, não nos olhamos, apenas te mandei uma mensagem, algo que tu já sabia que ia acontecer, não foi á toa o cinema da semana passada, como se aquilo fosse salvar os dez anos, os últimos anos, os sentimentos, o coração ferido.

Um relacionamento não é feito de apenas uma pessoa, da mesma maneira que tu errou, também errei. Não cedemos o suficiente para que sermos felizes um do lado do outro em todos os momentos. Eu não fui onde tu queria que eu fosse e tu não chegou perto de onde eu queria que tu chegasse. Foi comodismo, fora o tesão, o resto não tinha reciprocidade.

 Eu queria um homem de atitude, que quisesse crescer comigo, andasse junto de mãos dadas, me olhasse com amor e carinho, aceitasse minha família, meus amigos e tolerasse minhas manias, como eu fazia com você. Alguém que não me proibisse de fazer o que eu gosto, ver quem eu gosto e não me obrigasse a fazer o que eu não gosto só pra ser agradado. 

Você queria "Amélia, a mulher de verdade", alguém que limpasse, lavasse, cozinhasse, tivesse mil filhos, no final da noite te esperasse com tudo limpo, de banho tomado, comida na mesa e ainda transasse bonitinho do jeito que tu queria. E ainda por cima, fizesse apenas programas familiares, ou seja, era só visitar casa de parente e programas que envolvessem parentes. 

Não nasci pra viver essa vida. Não aceitava metade do pouco que tu tinha pra me oferecer, eu queria mais, quis sempre mais. Não queria viver de migalhas de terceiros. Era injusto eu acordar cedo e você continuar dormindo. Era injusto eu ir e deixar os meus aqui. O comodismo era proporcional ao tesão que sentíamos um pelo outro e que com o tempo foi deixando de existir também, porque se não existe reciprocidade não há motivos para continuar existindo. 

Todos irão me julgar dizendo que não superei, que ainda continuo batendo na mesma tecla, mas quem supera um relacionamento de dez anos com tanta facilidade? Enfim, enquanto existir resquícios aqui dentro continuarei escrevendo.

You Might Also Like

5 Comentários

  1. A vida segue... Por mais dificil que seja um relacionamento precisamos seguir em frente.
    http://ladomilla.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. posso dizer aqui q me encontrei em cada linha, e que os olhos relembraram tantas coisas, q texto devastador e necessário, um dia a gente caminha sem doer tanto, bjs

    ResponderExcluir
  3. Nossa que difícil, apesar de eu nunca ter tido um relacionamento eu acredito muito que as pessoas acabam perdendo o amor próprio no meio dele e esse é um erro fatal, infelizmente poucas pessoas acordam a tempo.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Nossa, profundo e tocante. Poucos sabem o que é desistir de nós mesmos para agradar a pessoa amada...
    Parabéns lindo texto nati ��.

    ResponderExcluir
  5. O foda do relacionamento é esse. Você esperar uma coisa de alguém e esse alguém também esperar algo de você. O pior não é criar expectativas, porque todos nós no fundo criamos. O único problema é criar expectativas diferentes, de uma forma que cada um cria o parceiro que quer e no fundo não é assim, nós não podemos mudar quem amamos. E no final o que resta é isso. Ressentimento, mágoas.
    Beijo,
    paraisodemenina.blogspot.com

    ResponderExcluir

Me diz o que você achou, o seu comentário é muito importante pra mim.
Obrigada!